Sobre a SM Fundação SM Formação Continuada Carreiras Contato
SM Aprendizagem

Os livros didáticos são soluções educacionais indispensáveis para enriquecer os processos de ensino e aprendizagem nas instituições de ensino. Afinal, esses materiais oferecem atividades e recursos para ajudar a desenvolver e potencializar os sentidos do educador e das crianças. 

Com o uso do livro, fica mais fácil para o educador guiar as aulas e saber qual conteúdo trabalhar para desenvolver as competências dos estudantes.

Vale lembrar que, por ser importante na fase e nas atividades de alfabetização, a escolha da obra pode ser bastante desafiadora. No entanto, é possível otimizar essa tarefa escolhendo materiais qualificados ou uma boa editora de livros didáticos

Para entender todos os critérios que devem ser analisados e aprovados no ato da seleção, acompanhe este conteúdo e saiba como fazer a melhor escolha! 

Como analisar e escolher os livros didáticos? 

Primeiramente, devemos destacar que o livro didático precisa ser utilizado de maneira metódica e sistemática no processo de ensino e aprendizagem. 

Portanto, cabe ao professor realizar a escolha do material e buscar entender como aplicar seu conteúdo em sala de aula. Afinal, o que é mais adequado para cada grupo de alunos?

Essa e outras questões são fundamentais para decidir a obra que dará suporte para o trabalho desempenhado no dia a dia escolar. Portanto, veja a seguir alguns aspectos que você pode levar em consideração: 

1. Atente-se à estrutura do material

Antes de realizar a escolha dos livros didáticos, é importante lembrar que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) regulamenta quais são as aprendizagens essenciais a serem trabalhadas nas escolas do Brasil.

Sendo assim, atente-se às principais características que compõem esses materiais:

2. Observe a apresentação dos conteúdos

Você também precisa estar atento(a), na hora da escolha do livro didático, à apresentação dos conteúdos. Eles conversam e atendem às necessidades do aluno do século XXI?

Antes de mais nada, verifique a diversidade de gêneros textuais. Para que o estudante se sinta mais atraído pelo conteúdo trabalhado, busque materiais que explorem diferentes formatos, desde poesias clássicas a textos despretensiosos de redes sociais. 

Além disso, analise a diversidade cultural e étnica da obra para enriquecer o aprendizado do aluno. Apesar da constante luta por representatividade e a discussão mais frequente de causas sociais, analisar a pluralidade dos conteúdos ainda se faz necessário para conversar com os jovens da atualidade. 

3. Aposte em atividades práticas com os livros didáticos corretos

Adotar livros didáticos que proporcionam atividades de laboratório (ou práticas) é outro aspecto indispensável a ser observado, principalmente em se tratando das áreas de física, química e biologia. 

Em outras palavras, ter um olhar crítico para as atividades propostas no material pode proporcionar aos alunos novas experiências de aprendizagem, colocando-os como participantes ativos da investigação, da análise e da construção de soluções para determinados problemas.

4. Avalie a experiência acadêmica e profissional dos autores

Do mesmo modo que você validou o conteúdo disponibilizado pela obra, verifique a especialização dos autores. Quem escreveu? Quais são as contribuições? Qual a formação?

Esses pontos de partida são importantes porque, no momento da leitura, conseguimos observar muito da formação inicial desses autores, o que pode influenciar diretamente no processo de ensino em diferentes componentes curriculares e na evolução dos estudantes.

5. Escolha livros didáticos que trabalham a interdisciplinaridade

Vivemos em um mundo plural e tecnológico, com uma imensa variação de informações e possibilidades. 

Por isso, o livro didático utilizado em sala de aula deve estar alinhado às mudanças e propor inovações para garantir o pleno desenvolvimento e a formação integral de crianças e jovens.

Na hora de realizar a escolha, lembre-se de avaliar se os materiais têm um olhar atento para a abordagem interdisciplinar, isso fará com que o conhecimento seja integrado e ajudará a desenvolver alunos de uma geração dinâmica, curiosa e questionadora.

Para além do processo de alfabetização

De fato, o livro didático é indispensável para o processo de alfabetização em muitos aspectos, como a capacidade de atender às mais diversas necessidades em sala de aula. 

Mas não é só isso! 

É importante lembrar que esse recurso é um material de apoio e não deve ser o centro do processo. O estudante precisa ter outras fontes de consulta dentro e fora de sala para que a aula se torne mais dinâmica e prenda sua atenção, melhorando seu desempenho.

Após todo esse conteúdo e os detalhes que trouxemos acerca dos livros didáticos, aí vão alguns questionamentos:

Sabemos que não são tarefas fáceis, mas não precisa se preocupar. A SM Educação ajuda você!

Soluções didáticas SM Educação

Conheça nossas soluções para cada segmento:

Livros didáticos para a Educação Infantil
Livros didáticos para o Ensino Fundamental - anos iniciais
Livros didáticos para o Ensino Fundamental - anos finais
Livros didáticos para o Ensino Médio
Por que escolher SM Educação

Com vasta experiência na elaboração de coleções didáticas, a SM Educação exerce um trabalho de contextualização dos conteúdos trabalhados às realidades dos estudantes, ao mesmo tempo em que contempla o desenvolvimento personalizado de atividades, textos, ilustrações e exercícios de fixação para que o professor escolha a melhor maneira de trabalhar a cada aula.

Com o início de um novo ano letivo, também entra no radar das escolas públicas o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). Como de costume, a SM Educação inicia essa jornada com um conteúdo repleto de informações importantes para que você fique por dentro de tudo sobre o assunto. Então, chegou a hora de conhecer a dinâmica do PNLD 2023!

Como funciona e como será organizado o PNLD 2023?

Para definir quais obras serão adotadas por escolas públicas de todos o Brasil, o sistema de educação básica brasileiro segue o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). 

E funciona da seguinte forma: a cada quatro anos, as editoras – como a SM Educação, produzem novos materiais para um determinado segmento de ensino e, seguindo os critérios do Programa.

Caso os livros sejam aprovados, as escolas poderão analisar e selecionar as obras que melhor se encaixam em suas propostas de aulas.

É importante destacar que, em 2023, o PNLD será destinado aos anos iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) e composto por quatro objetos:

Objetos do PNLD 2023. Objeto 01: Obras didáticas. Objeto 02: Obras didáticas - livro e manual de práticas e acompanhamento de aprendizagem. Objeto 03: Obras literárias. Objeto 04: Obras pedagógicas para professores e gestores e recursos educacionais digitais.

Para ajudar você nesse processo, nas próximas publicações da SM Educação, traremos alguns pontos-chave do Programa, que serão de grande relevância para entender o projeto. 

Veja, na imagem abaixo, a dinâmica dos tópicos que vamos abordar neste artigo e, em seguida, confira todos os detalhes.

Fluxograma do PNLD 2023. Objetos do PNLD 2023 - Categorias e componentes - Divisão e distribuição das obras.

Entenda os objetos do PNLD 2023

Objeto 1

No Objeto 1 do PNLD 2023, cada obra didática poderá ser escolhida sob uma das seguintes categorias: categoria 1, como obra por área, ou na categoria 2, como componente ou especialidade.

Tabelas apresentando a categoria 1 do Objeto 1 - Obras didáticas por área do PNLD 2023.
Tabelas apresentando a categoria 2 do Objeto 1 - Obras didáticas por componente ou especialidade do PNLD 2023.

Categoria: área

Na categoria por área, serão consideradas obras de Língua Portuguesa, Arte e Educação Física, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas.

Divisão/Distribuição

Para o aluno, são destinados cinco volumes por área do livro do estudante, em versão impressa e digital.

para o professor, será direcionado o manual do educador, impresso e digital, com cinco volumes cada, exceto Arte e Educação Física, que acompanham dois volumes adicionais de Educação Física.

Categoria: componente ou especialidade

Na categoria por componente ou especialidade, serão consideradas as obras de Arte, Educação Física, Geografia, História e projetos integradores.

Divisão/Distribuição

Nessa categoria, são destinados ao estudante cinco volumes do material impresso e digital de Arte, Geografia e História, além de dois volumes de projetos integradores, para alunos do 4° e 5° ano.  

Para o professor, a categoria atribui o manual do professor impresso e digital com cinco volumes de Arte, Geografia e História, além de dois de projetos integradores e dois volumes de Educação Física.


Objeto 2 

No Objeto 2, em 2023, cada obra de práticas e acompanhamento da aprendizagem poderá ser escolhida sob uma das seguintes categorias: categoria 1, como obra por área, ou na categoria 2, como obra por componente ou especialidade.

Tabelas apresentando a categoria 1 do Objeto 2 - Obras didáticas por área do PNLD 2023.
Tabelas apresentando a categoria 2 do Objeto 2 - Obras didáticas por componente ou especialidade do PNLD 2023.

Categoria: área

Na categoria 1, por área, serão consideradas obras de Língua Portuguesa, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas

Divisão/Distribuição

Para o estudante, na categoria por área são destinados aos alunos cinco volumes de práticas e acompanhamento da aprendizagem de Língua Portuguesa e Matemática, mais dois volumes de Ciências da Natureza e Ciências Humanas para 4º e 5º apenas no formato impresso.

Já para o professor, a escolha por área atribui cinco volumes de manuais de práticas e acompanhamento da aprendizagem de Língua Portuguesa e Matemática em formato PDF.

Além disso, dispõe de dois volumes de manuais de práticas e acompanhamento da aprendizagem de Ciências da Natureza e Ciências Humanas, também em PDF.


Categoria: componente ou especialidade

Na categoria 2, por componente ou especialidade, o professor pode escolher Arte, Geografia e História.


Divisão/Distribuição

Aqui, são destinados ao aluno cinco volumes por área do livro do estudante “práticas e acompanhamento da aprendizagem” de Arte, no formato impresso, além de dois volumes por área do livro de Geografia e História (do 4º e 5º ano), no mesmo formato.

Para o professor, a escolha do material por componente  ou especialidade atribui cinco volumes de manuais de “práticas e acompanhamento da aprendizagem” de Arte em PDF, mais dois volumes de Geografia e História.

Objeto 3

Para o Objeto 3 – obras literárias, a escolha poderá ser feita nas seguintes categorias: categoria 1, com obras literárias do 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental, ou na categoria 2, com obras literárias do 4º e 5º ano do Ensino Fundamental.

Tabelas apresentando a categoria 1 do Objeto 3 - Obras literárias do 1 ao 3 ano.

Divisão/Distribuição

Para o estudante, o Objeto 3 destina um livro literário impresso e digital, além de um videotutorial voltado para suas necessidades.

para o professor, um livro literário impresso e digital, um material digital de apoio à prática do educador, além de um vídeo tutorial voltado às suas atividades.

Objeto 4

Por fim, o Objeto 4 do PNLD 2023 é o de obras pedagógicas destinadas a professores e gestores e recursos educacionais digitais destinados aos professores, e está classificado em duas categorias: categoria 1, como obra pedagógica, ou a categoria 2, como recursos educacionais digitais.

Tabelas apresentando a categoria 1 do Objeto 4 - Obras pedagógicas destinada aos Professores e Gestores do 1 ao 5 ano.
Tabelas apresentando a categoria 2 do Objeto 4 - Recursos educacionais digitais por área.

Categoria: obra pedagógica

Cada obra pedagógica da categoria 1 destinada aos professores e gestores deverá apoiar os profissionais na construção e aplicação de procedimentos de avaliação diagnóstica, formativa, de processo ou de resultado que levem em conta os contextos e as condições de aprendizagem. 

Isso deve ser feito tomando tais registros como referência para melhorar o desempenho da escola, dos professores e dos alunos, contemplando avaliações para acompanhamento da aprendizagem, e avaliações educacionais nacionais e internacionais.

Divisão/Distribuição

O professor recebe um livro do educador impresso, além de uma versão digital do mesmo material em PDF e um videotutorial que apresenta a organização e proposta do material.

Já para o gestor, um livro do gestor impresso e um digital, em PDF, além de um videotutorial que apresenta e orienta o melhor uso do livro.

Categoria: recursos educacionais digitais por área 

A categoria 2, recursos educacionais digitais por área, é composta por Língua Portuguesa, Arte e Educação Física, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas.

Os professores recebem um videotutorial (exceto para Educação Física), um material digital em formato PDF, em cinco volumes, um para cada ano (exceto para Educação Física, que apresenta conteúdos dos cinco anos letivos em um único volume). 

Nessa categoria também são apresentados cinco conjuntos de audiovisuais para serem usados com os alunos, um conjunto para cada ano letivo dos anos iniciais.

A SM Educação estará pronta para oferecer os melhores materiais no PNLD 2023 


Assim como acontece todos os anos, a SM Educação estará presente em mais uma edição do PNLD, sempre oferecendo materiais qualificados, adequados e apoiados por um trabalho que comprovadamente traz resultados, já que são produzidos com base na expertise de quem é referência.

Mais do que isso, estaremos lado a lado com a sua escola para oferecer apoio e orientação em todas as etapas do Programa, com conteúdos indispensáveis para quem busca fazer a melhor escolha de materiais.

Então, continue acompanhando nossas publicações e conte com nossa equipe especializada para tirar todas as dúvidas. 

No PNLD 2023, escolha SM Educação, porque juntos cuidamos da educação!

Nos anos iniciais, contar com o apoio da SM Educação é a melhor opção

A melhor forma de acompanhar as mudanças no Ensino Fundamental está aqui!

Conheça nossa Central de Conteúdo | Anos Iniciais

Formação continuada e capacitação de professores são investimentos essenciais para o desenvolvimento do trabalho. Consequentemente, para garantir uma educação de qualidade aos alunos.

Por isso, é importante que a instituição de ensino esteja atenta para as necessidades de formação e atualização dos professores. 

Afinal de contas, a instituição sempre vai se beneficiar ao contar com professores preparados e atualizados. Isso aumenta a qualidade da educação, o desempenho dos estudantes e a satisfação das famílias.

Bons alunos são formados por bons professores. E essa troca é fundamental para a sua escola se posicionar estrategicamente no mercado como sinônimo de qualidade em educação

Tendo isso em mente, é importante lembrar que a formação de professores é um processo contínuo e abrangente, que deve fazer parte da cultura da escola e ser sempre incentivado.

A educação e a própria sociedade estão em constante evolução, e os professores precisam revisitar e repensar suas práticas pedagógicas para que se adaptem a essas mudanças.

Saiba quais são os principais benefícios para a instituição de ensino que apoia a formação docente e veja algumas opções para colocar em prática na sua escola.

Benefícios da formação e capacitação de professores

Antes de falarmos sobre os benefícios, precisamos entender o que significa “formação e capacitação continuada”. 

Ou seja, quando falamos sobre formação continuada, estamos nos referindo à frequente ampliação, aperfeiçoamento e desenvolvimento de novas habilidades por meio do aprendizado, com possibilidades de conhecer diferentes meios para alcançar objetivos.

Já na capacitação de professores, então, o intuito é preparar e/ou desenvolver alguma atividade já preestabelecida. 

Benefícios

Para professores

Para os alunos e famílias

Para a gestão

O que as melhores instituições de ensino têm em comum

Sabemos que inovação é valorizada nas melhores instituições de ensino, mas também entendemos que a tecnologia por si só não é suficiente. É preciso mudar a cultura do ensino e se organizar de maneira diferente!

Algumas características são semelhantes entre as melhores instituições. Confira:

Para os gestores darem conta de observar, investir em formação e capacitação de professores e ainda cuidar com atenção de todos esses pontos, o uso de ferramentas de apoio se faz necessário. Por isso, você precisa conhecer o ecossistema Educamos, da SM Educação.

Educamos: uma solução para todas as necessidades da sua escola

Da sala de aula à gestão, Educamos, da SM Educação, é um ecossistema de soluções integradas para sua escola. Totalmente baseado em soluções de Ensino e Aprendizagem, Consultoria Estratégica, Serviços Educacionais e Gestão.

Os serviços do ecossistema reúnem recursos didáticos, ferramentas e serviços que permitem à escola transformar suas práticas de ensino e aprendizagem, sua organização administrativa, sua capacidade de aperfeiçoar o corpo docente, assim como o relacionamento com alunos, famílias e comunidade.

Neste ecossistema educacional, toda a comunidade escolar é envolvida no processo de desenvolvimento, de acordo com cada área trabalhada.

Nas Soluções Estratégicas, nossos consultores fazem um diagnóstico e a definição de metas com ênfase na qualidade, sustentabilidade e identidade, executam e monitoram o plano estratégico, com indicadores de progresso e desenvolvimento de áreas-chave.

Esta etapa tem o objetivo de alcançar novos resultados, consolidar posicionamento, otimizar investimentos e permitir tomadas de decisões assertivas.

Recursos ao professor

Nas soluções de Ensino e Aprendizagem, o aluno e o professor contam com material didático de qualidade, alinhado à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e orientado ao desenvolvimento de habilidades e competências, com conteúdo digital integrado.

As ferramentas de Ensino e Aprendizagem e gestão da sala de aula permitem ao professor acompanhar a evolução da classe e de cada aluno com base em dados, para analisar o desempenho do estudante e potencializar a aprendizagem.

Assim, a plataforma facilita todos os processos de gestão pedagógica que envolvem o professor e a equipe escolar.

Logo, na área de Gestão, o objetivo é facilitar as operações administrativas, financeiras e de comunicação da escola, dando a elas mais eficiência e facilitando o compartilhamento  de informações com colaboradores, docentes, alunos e famílias.

Para isso, conta com ferramentas e soluções centralizadas em um único banco de dados, com migração simplificada e facilidade de acesso.

Integre a sua escola, invista em capacitação de professores e seja uma referência dentro da comunidade escolar.

educamos-sm

A educação não pode parar! É por isso que o ensino a distância tem se destacado cada vez mais. Afinal, durante o isolamento social, foi esse método que possibilitou a continuidade do ano letivo, facilitando a rotina de milhões de alunos e professores.

É importante, então, que profissionais da área de educação fiquem atentos a todos os tipos de novidades. Assim, estarão preparados para aplicá-las na sala de aula que, hoje em dia, não se restringe ao espaço físico.

Por que o ensino a distância é uma boa opção? 

Ainda exista certa resistência referente ao ensino a distância. Mas é impossível negar que essa modalidade de ensino oferece grandes benefícios para professores e alunos de cursos, escolas e universidades.

Enquanto professores podem preparar aulas mais dinâmicas e com materiais diversos, alunos conseguem acessar as aulas de diferentes localidades. Dessa forma, possuem mais liberdade e ganham mais independência nesse quesito.

Essa modalidade também tem como benefício potencializar a interação do professor, que passa a ter a possibilidade de estar sempre mais acessível ao aluno. Exemplos: respondendo a fóruns ou e-mails, mandando mensagens para o grupo ou para os alunos individualmente, tirando dúvidas em plantões agendados, dando feedbacks nas produções e muito mais.

O mundo on-line é importante para a construção de conceitos e processos, mas também é lugar de estabelecimento de relações. Não é uma questão de valorização do ambiente físico ou do virtual, ou substituição de um pelo outro, mas sim de percebermos que há hoje muitos universos de aprendizagem e de relacionamento.

Por onde começar?

Para garantir o sucesso do ensino a distância, portanto, é preciso que todos se dediquem e reconheçam o potencial dessa forma de ensino e aprendizagem… 

No caso dos professores, esse empenho pode ser facilmente percebido no material disponibilizado por eles, assim como os que temos oferecido em nossa plataforma de conteúdos desde o início do distanciamento social.

Tabela sobre como potencializar as aulas on-line, apresentando uma sequência didática para buscar recursos digitais para essas aulas. Uma série de perguntas norteadoras.

Na internet, existe uma infinidade de recursos que podemos usar em nossas aulas on-line. Porém, é preciso fazer uma escolha criteriosa para que eles não se tornem objetos digitais que têm como única função atrair a atenção dos alunos. 

Assim como na aula presencial, as estratégias que escolhemos devem contribuir para o desenvolvimento de habilidades, por meio do protagonismo do aluno, que responderá com melhor qualidade quando for desafiado a construir conceitos, aplicar processos, criar e inovar ao solucionar as situações-problema.

Dicas para potencializar as aulas no ensino a distância 

Para ajudar educadores na construção dessa nova relação no ambiente digital, selecionamos alguns pontos que devemos levar em consideração ao planejarmos nossas aulas no espaço virtual visando garantir a interação com os alunos

Experiências interativas nas aulas on-line

Utilize ferramentas para inserir os alunos em grupos de trabalho. Isso estimulará o contato do estudante com outras pessoas, contribuindo para que ele permaneça mais engajado em todo o processo de aprendizagem. Exemplos: Moodle, wiki, fórum Padlet, Discord, Skype. 

Escolha do roteiro de estudo

Crie um rol de opções de atividades para que o aluno possa escolher o que deseja realizar. Isso ajudará o estudante a ter sensação de importância e irá motivá-lo a fazer mais e melhor, além de convidá-lo a gerir seu processo de aprendizagem. 

Espaços de compartilhamento

Crie espaços para que os alunos possam compartilhar suas produções com os colegas. Ao dar autonomia a eles, você contribui para elevar o nível de participação e aprimorar a capacidade de aprendizado de cada um. Podendo compartilhar o que lhe interessa, o estudante valoriza mais o conteúdo que tem à sua disposição. 

Espaços de desafios

Não use esse ambiente de aprendizagem apenas para que os alunos tenham contato com processos e conceitos, e suas devolutivas sejam voltadas somente à execução da atividade proposta. No fim de cada aula, proponha um desafio a ser discutido na próxima aula. 

Gestão de aprendizagem pelo aluno

No espaço virtual, a gestão do estudo é do aluno. Por isso, ajude-o a organizar seus momentos de aprendizagem por meio de uma sequência didática clara e assertiva, na qual ele compreenda a necessidade do estudo e do engajamento, bem como a continuidade do que está sendo trabalhado. 

A interação social em cursos on-line anima o estudante em relação às coisas que acontecem na sala de aula virtual. Isto acaba gerando uma motivação extra em alcançar os objetivos das aulas. 

Gestão da turma 

Da mesma forma que no espaço presencial precisamos conhecer nossos alunos, suas necessidades, seus talentos para melhor criar situações de aprendizagem que contribuam para seu desenvolvimento, no espaço virtual é igual. 

Acompanhar as escolhas dos alunos, o tempo que disponibilizam para fazer as atividades, as participações em relação ao grupo e as devolutivas que dão, são ferramentas de reflexão e análise para que possamos planejar aulas mais personalizadas e ajudá-los da melhor maneira em sua formação. Quando o aluno se sente reconhecido, naturalmente se empenha mais. 

Espaço de trocas para planejamento de ações

Quem deve ter claros os objetivos de aprendizagem, o planejamento e quais os caminhos que deseja traçar para que os alunos se desenvolvam de forma plena e significativa é o professor. Porém, isto não significa que os alunos não possam sugerir o que querem ou precisam aprender mais. O espaço virtual permite essa personalização. 

Organização do ambiente

Quando começamos o ano, nós nos preocupamos com a organização da sala de aula. Com os recursos que utilizaremos com os alunos, como melhor dispor as mesas e cadeiras de modo a criar um espaço significativo e acolhedor de aprendizagem. No espaço virtual também é assim. Conheça bem a plataforma, escolha os recursos, organize os materiais, de modo a criar um ambiente de fácil acesso e atrativo para o aluno interagir.

Viu só como o ensino a distância pode ser um facilitador, uma vez que a preparação das aulas on-line fica mais assertiva com boas técnicas e ferramentas? 

Juntos, conseguiremos cada vez mais ampliar os espaços de aprendizagem e as relações, de modo a garantir a formação integral de nossos alunos.

Conte com a SM Educação

Hoje, não somos mais os detentores únicos do conhecimento, mas sim facilitadores desse processo. Ou seja, tanto aluno quanto professor são receptores e emissores das informações. 

A SM Educação apoia a escola em todos os momentos, oferecendo diversos materiais que podem facilitar esse processo e garantir o sucesso de seu trabalho. Acesse nossa plataforma e fique sempre de olho: https://materiais.smbrasil.com.br/hub-de-conteudos-a-educacao-nao-para 

Com o objetivo de apoiar gestores a pensarem nos resultados de uma instituição de ensino a longo prazo, o planejamento estratégico escolar é um dos principais processos da gestão. Somado à tecnologia, essa importante etapa pode direcionar a escola para alcançar seus objetivos com mais rapidez e assertividade.

Apesar de ser um processo complexo, o planejamento estratégico é fundamental para qualquer unidade escolar e pode ser simplificado com o uso de novas tecnologias. 

Além de dar apoio ao desenvolvimento de estratégias pedagógicas adequadas às necessidades da escola, o planejamento com o bom uso da tecnologia ainda garante clareza na definição de objetivos e melhor análise dos processos e resultados. 

Acompanhe este artigo para saber como utilizar o planejamento estratégico escolar e as plataformas digitais na transformação da gestão escolar. 

Benefícios do planejamento estratégico escolar com apoio da tecnologia

Com o impressionante avanço da tecnologia, é muito comum ver instituições de ensino deixando de realizar suas atividades manualmente para adotar ferramentas tecnológicas tanto na sala de aula quanto na gestão

Apostando em plataformas digitais que se adequam à realidade da escola, é possível usar a tecnologia para otimizar a gestão escolar, tornando os processos mais rápidos e assertivos. E isso influencia diretamente na captação e retenção de alunos, bem como no processo de tomada de decisões.

Veja abaixo outros benefícios do uso da tecnologia no planejamento estratégico:

Benefícios do planejamento estratégico escolar

Considere os desafios atuais da instituição no momento do planejamento

Já que você chegou até aqui, é importante lembrar que, para conseguir aproveitar o apoio da tecnologia no plano de ação escolar, é necessário conhecer sua atual realidade. 

Analise os desafios que a instituição enfrenta e como um melhor planejamento estratégico com apoio de tecnologia pode ajudar, especialmente no que diz respeito ao impacto na satisfação dos estudantes e famílias com os serviços da escola.

Como suporte para o setor da Educação, softwares e aplicativos de gestão escolar surgem para descomplicar os desafios do dia a dia. Com fácil acesso a informações, além de ferramentas pedagógicas específicas, esses recursos auxiliam no planejamento estratégico e na oferta de serviços de qualidade.

Pensando no bom uso dessas ferramentas para promover uma educação de qualidade e adequada aos desafios e objetivos da unidade de ensino, é importante que a escola permaneça em constante inovação. 

Portanto, lembre-se de utilizar a tecnologia a seu favor, explorando seu potencial, do plano de gestão escolar à realização das atividades em sala de aula.

Transformando a gestão escolar com o apoio da tecnologia 

Se a realidade da sala de aula já era de constante mudança, a pandemia do coronavírus e suas medidas de segurança trouxeram ainda mais urgência de adaptações para professores e gestores escolares.

Ou seja, com a nova realidade, escolas passaram a incluir mais  tecnologia educacional nas práticas pedagógicas, especialmente no plano de ação escolar. Mas para que alcancem resultados satisfatórios, essas instituições precisam seguir alguns passos:

Estabeleça metas e pontos de melhoria 

Antes de dar início à elaboração do plano estratégico a ser implementado, a escola precisa entender sua atual realidade e necessidades, estabelecendo aonde deseja chegar. Neste processo, a tecnologia e suas ferramentas, como sistemas e aplicativos, surgem como importantes aliadas.

Do mesmo modo, editores de textos e planilhas contribuem para a melhor visualização das pendências financeiras, da distribuição de tarefas e resultados obtidos em determinada ação. 

Além disso, existem softwares específicos para gestão escolar que automatizam várias tarefas das rotinas administrativa, econômica e acadêmica, de acordo com o perfil e preferências da escola. 

Acompanhe os resultados do planejamento estratégico 

Após definir os passos a serem tomados e os objetivos do plano de ação escolar, é hora de colocar o planejamento em prática e acompanhar os resultados das atividades. Nessa etapa, ferramentas de controle têm o apoio ideal para o gerenciamento de projetos. 

Mas por que investir em uma metodologia de organização? Além de oferecer uma visão total do planejamento estratégico, ela ainda torna possível entender as prioridades e como acompanhar, em tempo real, o calendário de execuções.

Na SM Educação, por exemplo, contamos com o Educamos, um excelente ecossistema integrado por soluções que incluem ferramentas para gestão escolar com funcionalidades configuráveis de acordo com as necessidades específicas de cada escola. O objetivo é proporcionar:

Portanto, no Educamos, você pode contar com a integração a diversas ferramentas para alcançar esses objetivos, como aplicativos de comunicação e agenda para professores, alunos e pais, Office 365, banco de dados com geração de relatórios e muito mais. Conheça!

Conte sempre com a SM Educação

Hoje, é indispensável tomar decisões e adotar métodos para aprimorar a administração escolar, tendo como base dados objetivos e métricas reais. Isso se dá não apenas no gerenciamento de recursos, mas também no acompanhamento do desempenho dos alunos.

A SM Educação apoia a escola em todos os momentos, oferecendo diversos materiais que podem facilitar esse processo e garantir o sucesso de seu trabalho. 

Acesse a plataforma

Com o objetivo de superar os desafios impostos pela pandemia do coronavírus e o distanciamento social, em 2021, instituições de ensino investem em manobras para preparar crianças, adolescentes e jovens para o pleno exercício da educação a distância. Neste cenário, tendências educacionais digitais surgem como importantes mecanismos de apoio.

Se o objetivo é incorporar novas modalidades didáticas ao dia a dia escolar, o avanço da tecnologia e seus recursos oferecem diversos benefícios às escolas. Por exemplo, a utilização de ferramentas virtuais como aliadas do corpo docente no ato de proporcionar maior distribuição de informação e conteúdos.

Por apresentar ideias inovadoras e criativas, essas tendências educacionais podem sugerir abordagens pedagógicas capazes de transformar a rotina escolar. Para saber como, acompanhe este artigo produzido pela SM Educação

Revolução digital: aulas on-line e novas possibilidades

Antes de nos aprofundarmos sobre os recursos tecnológicos que podem auxiliar a Educação em tempos de pandemia, precisamos lembrar que a covid-19 gerou impactos tanto para estudantes quanto para as instituições de ensino em todo o mundo.

Neste cenário atípico, escolas e educadores encontraram diversos desafios para oferecer ensino a distância aos alunos, tendo em vista que não contavam com o suporte necessário. Já as crianças e os jovens não estavam acostumados a rotinas de estudos em casa.

Segundo dados levantados pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), a pandemia do novo coronavírus afetou mais de 1,5 bilhão de alunos em 188 países, o que corresponde a cerca de 91% do total no mundo.

Para superar esses obstáculos e impulsionar novas metodologias, soluções educacionais e de aprendizado on-line ganharam espaço na rotina das melhores instituições. Veja, abaixo, algumas das tendências educacionais digitais mais utilizadas neste período:

Tendências educacionais digitais

Além dessas estratégias implementadas para auxiliar o pleno exercício da Educação Escolar, algumas práticas precisaram se adaptar para melhor atender às necessidade do ensino on-line e se manterem em sintonia com as  novas linhas pedagógicas. Por isso, selecionamos seis tendências educacionais digitais nas quais você precisa ficar de olho:

1. Aprendizado eletrônico (E-learning)

O  sistema E-learning é uma tendência educacional digital para promover a educação a distância em diversos modelos educacionais. Permite que estudantes tenham acesso a conteúdos educativos e aulas gravadas ou ao vivo.

Ao se mostrar cada vez mais acessível, prático e dinâmico, o E-learning se tornou um excelente meio de apoio para as aulas dentro de casa. Isso porque, além de ser útil no atual momento, tem grande potencial para os próximos anos, quando escolas passarão a investir em atividades na sala de aula e também no ambiente on-line

2. Profissionalização da educação a distância

Se antes os profissionais da educação precisavam se adaptar às mudanças impostas pelo ensino on-line, chegou o momento de encontrar melhorias para todos os processos de aprendizagem.

Olhando para o caminho percorrido até aqui, podemos identificar diversas plataformas capazes de transformar positivamente as aulas que antes eram ministradas por meio de lives, videochamadas ou do YouTube. Além de oferecer ferramentas completas, elas apresentam os seguintes benefícios:

Essas plataformas, se bem utilizadas, podem auxiliar no planejamento das aulas, na elaboração de provas e até mesmo em reuniões. Este é o caso do SIMPLIFICA, uma solução da SM Educação que oferece tudo que o educador precisa em um só lugar: gerador de avaliações, corretor automático, ambiente de relatórios e muito mais.

Com o SIMPLIFICA, professores cadastram suas turmas e alunos individualmente, fazem a correção das atividades, além de gerar relatórios que analisam o desempenho de cada aluno.

3. Plataformas de aprendizagem 

Agora que apresentamos os benefícios da profissionalização da educação a distância, que tal começar a definir as plataformas que serão adotadas em sua instituição de ensino?

Dentre as mais utilizadas, estão as plataformas de EAD (Zoom Meetings e Padlet, por exemplo), tornando possível que uma empresa ou escola possa desenvolver seu próprio modelo de ensino a distância. Além disso, é importante investir em ambientes virtuais que tenham como objetivo acompanhar e analisar o aprendizado de cada aluno.

Outro fator indispensável para o sucesso da atuação da escola na aprendizagem on-line é a implementação de plataformas de cursos e aulas como Hotmart, Descomplica e outras. Esses sistemas permitem que profissionais apresentem e vendam seus cursos e atinjam audiências qualificadas.

4. Fuja do óbvio com Data Analytics

Importante processo para a inspeção, transformação e modelagem de informações, a análise de dados tem como objetivo descobrir critérios úteis, informar conclusões e apoiar a tomada de decisões. E no ambiente escolar não poderia ser diferente.

É comum que algumas instituições de ensino tenham dificuldade para avaliar a efetividade do ensino e do aprendizado dos alunos. Diante disso  surgem os sistemas que medem o desempenho a partir de dados, para facilitar a busca por melhores resultados.

Essas análises contribuem para a decisão de quais ações pedagógicas deverão ser tomadas pela escola durante o processo de ensino, além de permitirem prestar um atendimento personalizado para cada aluno. 

5. Cultura Maker em casa

Maker significa a ideia de “faça por si”, “fazedor”, “faça por si mesmo”. É a cultura de que qualquer pessoa comum é capaz de construir, consertar, criar, inovar, modificar ou fabricar o que sentir necessidade. 

Essa tendência educacional digital possui quatro pilares:

Sendo assim, o movimento maker na educação sugere que cada estudante coloque a mão na massa para desenvolver com autonomia, protagonismo e criatividade diversos projetos e objetos.

6. Conteúdo educativo on-line 

Diante do cenário atual, em que as pessoas estão cada vez mais presentes no ambiente digital, as instituições de ensino se deparam com mais um grande desafio: como prender a atenção dos alunos?

Neste caso, nada melhor do que investir em conteúdos e materiais educativos em plataformas on-line. Consagrando-se como uma das mais importantes tendências educacionais digitais, essa prática torna o processo de aprendizagem mais atrativo, seja para os estudantes, seja para educadores que precisam buscar novos formatos. 

Um bom exemplo é a plataforma de conteúdos pedagógicos da SM Educação. Reúne diversos materiais educativos gratuitos que trazem temas essenciais para as atividades escolares, visando apoiar gestores, coordenadores, docentes, pais e alunos. 

Conteúdos pedagógicos

A primeira semana de aula é um período acolhedor, de encontros, de histórias e de sentimentos. Sendo assim, planejando aulas neste período, nosso foco deve estar nas habilidades ligadas às competências socioemocionais, dando espaço para a construção de vínculos e para a escuta real.

Planejando aulas de acordo com cada ano 

Antes de mais nada, comecemos nosso planejamento tendo no radar o que cada ano significa para os estudantes.

O primeiro ano de uma criança é carregado de expectativas e sentimentos: novo prédio; algumas vezes, nova escola; novos amigos; materiais didáticos diferentes; nova professora, e as responsabilidades que muitos ouviram que esta nova etapa trará. É importante que a criança perceba que faz parte desse novo grupo e que terá espaço de fala. 

No sexto ano, os estudos começam em um novo prédio, com mais professores, cobranças de autogestão, mudanças físicas e chegada à adolescência. Apresentar este novo período aos estudantes é essencial

Como serão as aulas, como administrar os estudos e os pedidos dos professores, o que é a adolescência e seus sentimentos, como organizar seu tempo entre o estudo e os cuidados pessoais.

O primeiro ano do Ensino Médio é a chegada da etapa em que as cobranças aumentam e os estudantes devem tomar decisões, (principalmente agora com a nova estrutura do Ensino Médio) administrar as necessidades pessoais e os estudos: o que é importante, como dividir o tempo, como estabelecer relações interpessoais, como lidar com a pluralidade. 

Nesse sentido, apresentar esse novo segmento, mostrar como pode ser o protagonismo do aluno, como fazer escolhas, como dividir o tempo entre as necessidades de lazer, de cuidados pessoais, de estudo, são alguns pontos que precisamos tratar com as turmas.

Considere os pontos de transição no planejamento de aulas

Destacar esses três anos de transição não anula a atenção com cada novo ano escolar, que sempre trará expectativas sobre quem será o novo professor, como serão os grupos de amizades, quais as novas aprendizagens e responsabilidades. 

planejando-aulas

A princípio, não sabemos se esta primeira semana será presencial ou virtual. Independentemente do espaço que vamos ocupar, temos que ter em mente que a primeira semana de aula deve ser um tempo de estabelecer vínculos, determinar… Com estes itens bem definidos, podemos partir para as ações práticas de aprendizagem.

Este não é um momento para organizar nosso trabalho de ensinar, mas sim para estabelecer parcerias. 

planejando-aulas-tatiana-pita

A escola para a qual estamos retornando nunca mais será igual à que vivemos até o início do ano passado. Permita o diálogo e o protagonismo do aluno. Não programe atividades a serem feitas, mas sim, convide-os a fazerem parte de um grupo que estará junto ao longo de um ano com metas comuns.

Para fazer o melhor pela educação em 2020, começamos o ano com diversos planos.

Com nossas rotinas estruturadas, seguíamos a vida cumprindo tarefas e circulando pelos lugares, algumas vezes de modo tão automático que deixávamos de observar o que estava ao nosso redor ou de ouvir verdadeiramente o outro. 

E de repente, tudo mudou por conta de uma pandemia que não estava em nossos planos, que não fazia parte de nossa rotina e que alteraria nossa forma de viver, pensar e nos relacionarmos uns com os outros.

Isolados em nossas casas, tendo contato físico apenas com os familiares mais próximos, tivemos que trazer para dentro do lar o trabalho, a escola, o parque, a ginástica, o restaurante. 

Os principais desafios na educação em 2020

A primeira tarefa foi dividir os espaços e o tempo entre todos, conhecer e respeitar a rotina e os hábitos de cada um e fazer combinados.

Sim, porque apesar de sermos da mesma família e morarmos juntos, cada um precisou trazer seu mundo para dentro de casa. 

 Sofremos para compartilhar as tarefas, as entregas, para adaptar espaços, para aprender a fazer tudo on-line, a ocupar um espaço que, apesar de estar presente em nossas vidas, para muitos ainda não era de todo habitado: o espaço virtual.

Enquanto todas essas mudanças ocorriam, éramos tomados por um mix de sentimentos: angústia, euforia, medo, coragem, incerteza, solidariedade, empatia, revolta, proatividade, prostração.

Começamos a adquirir novos hábitos: fazer pão e assistir a lives. Sim, uma enxurrada de lives acalmava nossa ansiedade e nos ajudava a viver a incerteza dos dias, sempre na esperança de que logo tudo voltaria ao normal. Mas que normal? 

A rotina na educação em 2020

E no meio de tudo isso estava a escola. Como levar a rotina escolar para dentro das casas? É possível migrar do mundo presencial para o mundo virtual? O que fazer para garantir acesso para alunos e professores em um país tão desigual?

Cheios de incertezas, mas com muita vontade de inovar e buscar novos caminhos para garantir a aprendizagem de seus alunos, os professores fizeram um trabalho admirável, deixando de lado as dificuldades e superando os obstáculos para organizar a rotina escolar. Parabenizá-los é pouco perto de tudo o que fazem por nossas crianças e jovens.

E a sensação que tudo isso causou foi de que os dias passaram em uma velocidade absurda. E assim chega o final do ano. 

Normalmente, final de ano é tempo de retrospectiva e listas de desejos. Neste caso, parece que quase ninguém quer relembrar o que viveu e que o único desejo da lista seja a vacinação de toda a população contra a COVID-19, trazendo a rotina de volta.

Novo normal?

E é este ponto que precisamos rever. A educação em 2020 nos trouxe valiosos aprendizados, e 2021 não trará de volta a “normalidade”, porque ela não existe mais.

Este ano nos mostrou como as relações humanas são necessárias, como o toque é precioso, como um abraço é valioso. Tudo isso nos fez parar e observar o que a correria impedia, nos permitiu ouvir o que os ruídos da rotina não deixavam. Também nos mostrou o quanto somos resilientes e como a empatia é uma das mais importantes competências deste novo século. 

Aprendemos a nos expressar pelo olhar. A situação nos levou a adotar formas variadas de comunicação e nos fez ocupar os variados espaços de aprendizagem: os imigrantes digitais verdadeiramente habitaram o mundo virtual. Aprendemos na prática que errar e acertar são consequências de quem faz, arrisca, experimenta. Que o importante da vida é vivê-la, senti-la, e que cada dia é um ano novo, uma nova oportunidade.

O ano de 2021 será um conjunto de “365 anos novos” que precisam ser sentidos, vividos e sonhados. Não podemos perder essa oportunidade.

Avaliando a educação em 2020 e planejando 2021 na escola

Quanto ao trabalho na escola, também tivemos muitas conquistas e colocamos em prática diversas ações que devem ser revistas. Por isso, para começarmos o novo ano letivo, é preciso avaliar o que se viveu, analisar os resultados, enumerar as metas e planejar as novas ações.

Convide representantes da comunidade escolar (gestor, coordenador, docentes, funcionários, famílias e alunos) a descreverem como foi que viveram. Logo, é importante saber o que aprenderam e o que acham que precisam aprimorar. 

Este é um instrumento precioso para que todos possam colocar suas impressões e sentimentos e para se desenhar como cada grupo viveu as experiências das aulas remotas, do distanciamento e das aprendizagens propostas.

educao-em-2020-planejamento-sm-educacao

Coordenador, convide sua equipe a elaborar um painel com os resultados desse levantamento, propondo soluções para as questões que causaram problemas e avanços para o que deu certo. Use post-its e abra espaço para esse painel e sua análise.

2020-planejamento-sm-educacao


Assim, é importante que a escola invista em formação continuada e ferramentas para que o trabalho possa ser mais assertivo e significativo para todos. 

Com o resultado das reflexões e a análise das sugestões, o estabelecimento de ensino precisará estudar quais ações devem ter metas estabelecidas:

info-educacao-em-2020

A educação nos move!

Em 2020 fomos pegos de surpresa e houve necessidade de mudarmos nosso trabalho, sem a possibilidade de planejamento.

Para 2021, temos as experiências vividas ao longo deste ano, muito material produzido. Além de acesso a formação e a ferramentas, contamos com a possibilidade de planejarmos nossas ações.

Por isso, é hora de levantar o que fizemos, avaliar as conquistas e as dificuldades, definir metas e buscar novos caminhos.

educacao-em-2020-artigo-Tatiana-Pita

Todos nós sabemos os benefícios do hábito de leitura, e é por isso que o PNLD Literário é um programa tão importante para as escolas.

O Programa Nacional do Livro Didático/PNLD Literário tem como objetivo aumentar o acesso ao livro de literatura e enriquecer os acervos das escolas para que os alunos tenham cada vez mais obras de qualidade à sua disposição.

Sobretudo, o programa busca apoiar o desenvolvimento integral dos alunos por meio da leitura, uma vez que este hábito enriquecedor e atemporal dá ao jovem leitor a oportunidade de ampliar o autoconhecimento e sua visão da realidade, dentro e fora da sala de aula. 

Além disso, o programa é voltado para a escolha dos livros para estudantes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental, e é dividido em duas categorias: 

Desta forma, por meio do PNLD Literário, as escolas têm a chance de selecionar obras literárias diversificadas e de qualidade para serem trabalhadas com os alunos durante todo o ano letivo.

Conheça as obras aprovadas da SM Educação para o PNLD Literário 2020.

Obras aprovadas para o PNLD Literário

Antes de mais nada, é importante lembrar que, Para 2020, o PNLD Literário está dividido em duas categorias: EF1 e EF2. Dentre as temáticas que poderão ser abordadas estão: 

A SM Educação participa do programa com seis editoras, veja quais são e conheça suas obras aprovadas.


Editora Anzol

Deslumbres e assombros

Nessa narrativa, uma garota curiosa se aventura por reinos inimagináveis! Uma jornada de autoconhecimento, na qual afloram sentimentos e emoções. Os elementos fantásticos, criados pelo autor Lucas M. Carvalho, têm tudo para cativar os leitores. A obra, ilustrada por Rafa Anton, é indicada para alunos de 6º e 7º anos do Ensino Fundamental. 

livro-deslumbres-assombros

Por fora bela viola

Aprender a lidar com as diferenças e a valorizar a diversidade cultural são aspectos muito importantes na formação dos estudantes. Nessa obra, escrita e ilustrada por Mauricio Negro, fábulas e anedotas da tradição popular ítalo-brasileira são recontadas com base nas lembranças de avô do autor. Repleto de elementos como ironia e humor, o livro tem tudo para agradar os alunos dos 6º e 7º anos do Ensino Fundamental. 

pnld-literario-viola

A cabeleira de Berenice

Também indicada para alunos de 6º e 7º anos do Ensino Fundamental, a obra escrita por Leusa Araujo e ilustrada por Sônia Magalhães conta a história de uma menina ruiva, que adora escrever poemas e cartas, pondo em destaque questões ligadas ao bullying, entre outros temas relevantes relacionados à família, aos amigos e à escola. 

pnld-literario-cabeleira

Editora Moitará

Os Futebolíssimos: o mistério dos árbitros adormecidos

Ao abordar temas como família, amigos e escola de maneira divertida, em torno de um time misto de futebol,  o autor Roberto Santiago e o ilustrador Enrique Lorenzo envolvem os leitores em uma narrativa cheia de aventura, mistério e fantasia, construindo uma obra encantadora para os alunos de 6º e 7º anos do Ensino Fundamental. 

pnld-literario-futebolissimos

Prezado Ronaldo

A obra, escrita por Flávio Carneiro e ilustrada por Daniel Bueno, tem como protagonista um garoto apaixonado por leitura e futebol, além de ser um grande escritor de cartas! Por dar ênfase à busca por autoconhecimento, sentimentos e emoções,  essa narrativa juvenil tem potencial para gerar identificação nos alunos dos 6º e 7º anos do Ensino Fundamental. 

obra-prezado-ronaldo

Nenhum peixe aonde ir

Indicado para alunos de 8º e 9º anos do Ensino Fundamental, esse poético conto de Marie-Francine Hébert, ricamente ilustrado por Janice Nadeau, aborda os temas da violência da guerra e do exílio, em um delicado diálogo com aspectos da história e da filosofia, bem como com  questões ligadas à sociedade, política e cidadania. 

pnld-literario-peixe


Editora Rodopio

Furos

Indicado para alunos de 6º e 7º anos do Ensino Fundamental I, esse livro de imagens, escrito por Cécile Bergame e ilustrado por Aude Léonard, conta a inusitada jornada de um homem pobre e solitário rumo ao autoconhecimento e a descobertas de sentimentos e emoções. Nesse sentido, utiliza ilustrações enriquecedoras, que ajudam a dar vida a essa aventura, com um quê de mistério e fantasia. 

pnld-literario-furos

Uma noite muito, muito estrelada

Escrito e ilustrado pelo premiado autor asiático Jimmy Liao, esse livro de imagens trata da solidão nas grandes cidades, com sensibilidade e muita arte. Entre os temas abordados estão família, amigos e escola; autoconhecimento, sentimentos e emoções. A obra faz parte da categoria 1, ou seja, é indicada para 6º e 7º anos do Ensino Fundamental. 

pnld-literario-noite-muito-estrelada

A coisa perdida

Mais um livro de imagens, desta vez do autor e ilustrador australiano Shaun Tan, reconhecido mundialmente por sua contribuição à literatura infantil. A obra se encontra na categoria 2, ou seja, para alunos de 8º e 9º anos do Ensino Fundamental. Dentre os temas abordados, destacam-se sociedade, política e cidadania, além de  encontros com a diferença. 

pnld-literario-coisa-perdida

Comboio de Corda

Lola e Ervilha

Escrito por Annette Mierswa e traduzido por Claudia Abeling, o delicado romance Lola e Ervilha tem como protagonista  a menina Lola, que mora com sua mãe no barco Ervilha. Desde o desaparecimento do pai, ela se recusa a crescer e vive no mundo da fantasia. A obra tem como temas principais o autoconhecimento, os sentimentos, as emoções, bem como a relação com família, amigos e escola. Está na categoria 1 (6º e 7º anos do Ensino Fundamental). 

obra-lola-e-ervilha

Andarilhas

Três adolescentes em trânsito ouvem três histórias da tradição oral: uma budista, uma árabe e uma cigana, que são recontadas em um cenário urbano e contemporâneo. Indicada para os alunos de 6º e 7º anos do Ensino Fundamental, a obra de Heloisa Prieto ressalta a importância dos encontros com a diferença. 

pnld-literario-andarilhas

Um escritor na capela

O livro escrito e ricamente ilustrado pelo premiado autor e ilustrador Nelson Cruz é baseado em Memórias do cárcere e revisita a fase final de confinamento de Graciliano Ramos na Casa de Correção, quando ele ficou preso junto com outras personalidades como a comunista Olga Benário, mulher de Luís Carlos Prestes. Dessa forma, a obra, que está enquadrada no tema diálogos com a história e filosofia, é indicada para a categoria 2 (8º e 9º anos do Ensino Fundamental). 

pnld-literario-um-escritor-na-capela


Editora Timbó

O menino que caiu no buraco

O livro de Ivan Jaf ilustra as dificuldades emocionais e financeiras vividas por um menino de 13 anos que, por acidente, se vê obrigado a lidar sozinho com seus medos! A obra apresenta temáticas ligadas ao autoconhecimento, sentimentos e emoções; bem como aborda aspectos ligados a  família, amigos e escola. 

obra-menino-caiu-no-buraco

Os livros de Sayuri

A obra da premiada autora e ilustradora nipo-brasileira Lúcia Hiratsuka se passa no período da Segunda Guerra e apresenta a história de uma filha de imigrantes japoneses residentes no Brasil que, mesmo com as escolas fechadas, não desiste do sonho de aprender a ler e escrever. A obra trata de  temas como encontros com a diferença, além de outros como autoconhecimento, sentimentos e emoções. 

obra-os-livros-de-sayuri

A lenda de Abelardo

Aventura, mistério e fantasia! Esses são os elementos essenciais da narrativa de Dionisio Jacob sobre um menino de 10 anos que vive com a mãe em um feudo, em plena Idade Média. Além de acreditar na existência de dragões, ele crê no retorno do pai, que partiu para as Cruzadas. O livro é indicado para os 6º e 7º anos do Ensino Fundamental. 

pnld-lenda-de-abelardo

Editora SM no PNLD Literário

A guardiã dos segredos de família

Escrita pela premiada autora Stella Maris Rezende, a obra tem como protagonista uma garota que, com muita resiliência e afeto, cuida de seus sobrinhos órfãos e protege sua família. Pelo viés dos sentimentos e emoções e das relações com a família, amigos e escola, a narrativa convida os alunos de 6º e 7º anos do Ensino Fundamental  ao processo de autoconhecimento, bem como do reconhecimento do outro. 

pnld-literario-guardia-dos-segredos-de-familia

Tempo justo

O livro do consagrado autor João Anzanello Carrascoza reúne 16 contos que propõem uma reflexão sobre o caráter fugaz da vida e o desejo humano de permanência. Além disso, de forma delicada e sensível, Carrascoza fala de família, memória e tempo, em um belo diálogo com a história e com a filosofia. Tempo justo é da categoria 2 (8º e 9º anos do Ensino Fundamental). 

pnld-tempo-justo

Agora que você já conhece nossas obras aprovadas no PNLD Literário 2020, acesse nosso site e tenha acesso aos livros na íntegra para te ajudar na escolha das melhores obras para a sua instituição. 

obras-pnld-literario

A popularização de aplicativos de mensagens instantâneas trouxe muitos benefícios para o nosso dia a dia, em casa e no trabalho. Até os grupos de pais começaram a utilizar a tecnologia para se reunir.

Na escola, é comum encontrar pais reunidos no WhatsApp, aplicativo mais popular do segmento no Brasil. Fazem isso para acompanhar a vida escolar dos filhos e compartilhar informações úteis no dia a dia

Porém, quando as mensagens passam a tratar de assuntos mais complexos e delicados a situação pode ficar complicada e causar desentendimento coletivo. A escola precisa se inteirar desse universo à parte da comunicação oficial para entender o que aconteceu e esclarecer a situação antes que se torne um problema. 

O WhatsApp é um meio de comunicação relativamente recente e seu crescimento acelerado dificulta definir qual seria a melhor maneira de usar a ferramenta para os grupos de pais. 

Nas conversas, são muitas pessoas discutindo simultaneamente assuntos que nem sempre têm relação com o objetivo do grupo. Mensagens são encaminhadas fora de seu contexto original, prejudicadas pela impulsividade característica do mundo digital. 

Dessa forma, a interpretação acaba ficando comprometida e os mal-entendidos espalham-se rapidamente. Quais ações a instituição de ensino pode ter para evitar que informações mal interpretadas se tornem verdades entre as famílias e prejudique a harmonia da comunidade escolar?

Novas tecnologias e a educação digital

Assim como no ambiente off-line, os grupos de pais no WhatsApp e demais canais digitais exigem um comportamento respeitoso. Isso deve ser guiado por regras implícitas de comunicação coletiva.

Porém, ao contrário dos meios off-line, cujos hábitos de uso se baseiam em décadas de experiência, os atuais aplicativos são de uso recente e suas boas práticas estão em processo de descoberta e desenvolvimento

Para promover uma cultura de respeito nos grupos de pais no WhatsApp, precisamos disseminar a educação digital. Como? Orientando e incentivando as pessoas para que se comuniquem na internet de forma responsável e consciente.

Afinal, já há algum tempo o mundo digital deixou de ser uma invenção inacessível. Atualmente, é uma ferramenta que faz parte das nossas relações sociais e, como tal, é melhor aproveitada quando usada com bom senso. 

O ideal é que a escola respeite o direito de expressão dos grupos de pais e não proíba o uso de nenhum canal de comunicação, mas incentive a adoção de uma conduta de cautela e respeito nos grupos.

Algumas regras básicas podem ajudar a evitar problemas nos grupos de pais:

A importância dos canais oficiais de comunicação

As famílias podem recorrer aos grupos de pais no WhatsApp quando a escola não dispõe de um canal de comunicação suficientemente rápido e prático. Investir nesse tipo de recurso pode evitar a formação dos grupos ou ao menos a circulação de informações falsas, já que a comunicação oficial da escola estará sempre acessível ao alcance de todos. 

Uma boa ferramenta de comunicação escolar pode ser ainda um diferencial para a campanha de matrículas, destacando a instituição das concorrentes por conta dos benefícios e segurança desse recurso.

Outro cenário comum é que a escola disponha de uma ferramenta de comunicação, mas os pais não tenham conhecimento porque não é divulgada com frequência. 

Editar imagem

É importante divulgar os canais oficiais de comunicação ao longo de todo o ano letivo e incentivar seu uso. Isso pode ser feito de diversas maneiras… Cartazes nos murais da escola em eventos com a presença das famílias, e-mails, comunicados, reunião de pais, entre outras situações. 

Quando a escola mantém uma comunicação clara e acessível, as famílias sentem-se mais seguras e esclarecem suas dúvidas diretamente por meio da gestão escolar, evitando assim os problemas com WhatsApp.

Apesar dos conflitos, os grupos de pais no WhatsApp são um canal útil para facilitar a comunicação coletiva e aproximar as famílias. 

Com medidas de incentivo para um uso mais consciente, o aplicativo deixa de ser inimigo da escola e torna-se um recurso prático no dia a dia.

Seja qual for o meio de comunicação escolhido, a prioridade é sempre manter um clima de aprendizado a favor do bem-estar e desenvolvimento dos alunos.

apoio pedagógico grupo de pais

Utilizamos cookies e outras tecnologias proprietárias e de terceiros para operar corretamente e com segurança o nosso site e personalizar o seu conteúdo. Nós também os usamos para analisar sua experiência de navegação e para adaptar a publicidade aos seus gostos e preferências. Política de cookies

Configurar ou Rejeitar Aceitar todos