Sobre a SM Fundação SM Formação Continuada Carreiras Contato
SM Aprendizagem

Os livros didáticos são soluções educacionais indispensáveis para enriquecer os processos de ensino e aprendizagem nas instituições de ensino. Afinal, esses materiais oferecem atividades e recursos para ajudar a desenvolver e potencializar os sentidos do educador e das crianças. 

Com o uso do livro, fica mais fácil para o educador guiar as aulas e saber qual conteúdo trabalhar para desenvolver as competências dos estudantes.

Vale lembrar que, por ser importante na fase e nas atividades de alfabetização, a escolha da obra pode ser bastante desafiadora. No entanto, é possível otimizar essa tarefa escolhendo materiais qualificados ou uma boa editora de livros didáticos

Para entender todos os critérios que devem ser analisados e aprovados no ato da seleção, acompanhe este conteúdo e saiba como fazer a melhor escolha! 

Como analisar e escolher os livros didáticos? 

Primeiramente, devemos destacar que o livro didático precisa ser utilizado de maneira metódica e sistemática no processo de ensino e aprendizagem. 

Portanto, cabe ao professor realizar a escolha do material e buscar entender como aplicar seu conteúdo em sala de aula. Afinal, o que é mais adequado para cada grupo de alunos?

Essa e outras questões são fundamentais para decidir a obra que dará suporte para o trabalho desempenhado no dia a dia escolar. Portanto, veja a seguir alguns aspectos que você pode levar em consideração: 

1. Atente-se à estrutura do material

Antes de realizar a escolha dos livros didáticos, é importante lembrar que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) regulamenta quais são as aprendizagens essenciais a serem trabalhadas nas escolas do Brasil.

Sendo assim, atente-se às principais características que compõem esses materiais:

2. Observe a apresentação dos conteúdos

Você também precisa estar atento(a), na hora da escolha do livro didático, à apresentação dos conteúdos. Eles conversam e atendem às necessidades do aluno do século XXI?

Antes de mais nada, verifique a diversidade de gêneros textuais. Para que o estudante se sinta mais atraído pelo conteúdo trabalhado, busque materiais que explorem diferentes formatos, desde poesias clássicas a textos despretensiosos de redes sociais. 

Além disso, analise a diversidade cultural e étnica da obra para enriquecer o aprendizado do aluno. Apesar da constante luta por representatividade e a discussão mais frequente de causas sociais, analisar a pluralidade dos conteúdos ainda se faz necessário para conversar com os jovens da atualidade. 

3. Aposte em atividades práticas com os livros didáticos corretos

Adotar livros didáticos que proporcionam atividades de laboratório (ou práticas) é outro aspecto indispensável a ser observado, principalmente em se tratando das áreas de física, química e biologia. 

Em outras palavras, ter um olhar crítico para as atividades propostas no material pode proporcionar aos alunos novas experiências de aprendizagem, colocando-os como participantes ativos da investigação, da análise e da construção de soluções para determinados problemas.

4. Avalie a experiência acadêmica e profissional dos autores

Do mesmo modo que você validou o conteúdo disponibilizado pela obra, verifique a especialização dos autores. Quem escreveu? Quais são as contribuições? Qual a formação?

Esses pontos de partida são importantes porque, no momento da leitura, conseguimos observar muito da formação inicial desses autores, o que pode influenciar diretamente no processo de ensino em diferentes componentes curriculares e na evolução dos estudantes.

5. Escolha livros didáticos que trabalham a interdisciplinaridade

Vivemos em um mundo plural e tecnológico, com uma imensa variação de informações e possibilidades. 

Por isso, o livro didático utilizado em sala de aula deve estar alinhado às mudanças e propor inovações para garantir o pleno desenvolvimento e a formação integral de crianças e jovens.

Na hora de realizar a escolha, lembre-se de avaliar se os materiais têm um olhar atento para a abordagem interdisciplinar, isso fará com que o conhecimento seja integrado e ajudará a desenvolver alunos de uma geração dinâmica, curiosa e questionadora.

Para além do processo de alfabetização

De fato, o livro didático é indispensável para o processo de alfabetização em muitos aspectos, como a capacidade de atender às mais diversas necessidades em sala de aula. 

Mas não é só isso! 

É importante lembrar que esse recurso é um material de apoio e não deve ser o centro do processo. O estudante precisa ter outras fontes de consulta dentro e fora de sala para que a aula se torne mais dinâmica e prenda sua atenção, melhorando seu desempenho.

Após todo esse conteúdo e os detalhes que trouxemos acerca dos livros didáticos, aí vão alguns questionamentos:

Sabemos que não são tarefas fáceis, mas não precisa se preocupar. A SM Educação ajuda você!

Soluções didáticas SM Educação

Conheça nossas soluções para cada segmento:

Livros didáticos para a Educação Infantil
Livros didáticos para o Ensino Fundamental - anos iniciais
Livros didáticos para o Ensino Fundamental - anos finais
Livros didáticos para o Ensino Médio
Por que escolher SM Educação

Com vasta experiência na elaboração de coleções didáticas, a SM Educação exerce um trabalho de contextualização dos conteúdos trabalhados às realidades dos estudantes, ao mesmo tempo em que contempla o desenvolvimento personalizado de atividades, textos, ilustrações e exercícios de fixação para que o professor escolha a melhor maneira de trabalhar a cada aula.

PNLD 2021 obras aprovadas: escolha SM Educação no Objeto 5. Com o objetivo de promover o protagonismo juvenil, em 2021, o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) ganhou uma nova divisão para continuar aprimorando o processo de ensino e aprendizagem, bem como melhorando a qualidade da educação.

Dessa vez, o programa, que avalia e disponibiliza obras didáticas, pedagógicas e literária – de forma gratuita, sistemática e regular – às instituições públicas de Educação Básica, teve seu sistema de escolha organizado em duas fases:

PNLD 2021 Objeto 5

No momento, estamos caminhando para a dinâmica do Objeto 5 do PNLD 2021, que corresponde à escolha das obras literárias e que pode ser realizada já no primeiro trimestre de 2022, com entrega prevista para o segundo trimestre do ano.

Nessa etapa, composta pelo livro do estudante impresso, material digital do estudante, manual do professor impresso e material digital do professor, optar por obras alinhadas à proposta do programa é o primeiro passo para democratizar o acesso dos estudantes às fontes de informação e cultura.

Com a SM Educação, por exemplo, você tem à disposição 12 obras aprovadas no PNLD 2021 Objeto 5 e alinhadas às diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), com conteúdos que abordam os mais diversos temas de grande relevância para propor novas discussões e reflexões em sala de aula.

SM Literatura é a primeira opção de quem entende do assunto

Alinhado às tendências da literatura juvenil, o Catálogo SM de Literatura foi elaborado para ser uma ferramenta no importante trabalho de formação integral e desenvolvimento em todas as camadas socioculturais.

No PNLD 2021, cada uma das obras literárias foi aprovada por sua capacidade de estimular o desenvolvimento subjetivo e a consciência cidadã de cada aluno(a), contemplando alguns dos temas sugeridos no Objeto 5:

Dentre as 12 obras aprovadas, destacam-se gêneros como poema, carta, conto, crônica, romance, biografia, autobiografia, relatos, memórias, história em quadrinho, romance gráfico e muito mais. 

Com isso, queremos dizer que, a partir de agora, sua escola terá a oportunidade de contar com o melhor do universo literário construído pela SM Educação no momento de escolha, levando títulos premiados, de grandes autores(as) e indispensáveis para a sala de aula. 

Nesse artigo, apresentaremos as obras que podem apoiar você a continuar estruturando e instrumentalizando o desenvolvimento da educação integral, além de oferecer a degustação gratuita de cada material didático. Conheça e faça sua escolha!

PNLD 2021 obras aprovadas - 7° e 8° anos

A chegada

Nessa graphic novel experimental, que já recebeu prêmios como Hugo Award de Melhor Relato, 2008, e Altamente recomendável FNLIJ 2012 – categoria Imagem,  o autor Shaun Tan narra as peripécias de um homem, separado de sua esposa e filha, chegando a uma terra totalmente estranha, à qual terá de se adaptar.

PNLD 2021 obra aprovada

Irmãos Pretos

Nesse romance premiado e altamente recomendável para quem quer se emocionar, Hannes Binder concebeu um impressionante trabalho com imagens em preto e branco, nos apresentando a jornada de solidariedade e justiça de Giorgio, de treze anos, que é vendido pela família, afetada pela miséria em decorrência da seca, e vai trabalhar como limpador de chaminés em Milão.

PNLD 2021 obra aprovada

No corredor dos cobogós

Um diário esquecido num apartamento da orla de Santos une dois adolescentes de gerações distintas: Haidê, que o escreveu nos anos 1980, e Benjamin, que o encontrou em 2015. Através dos tijolos vazados da fachada do prédio — os chamados cobogós —, ambos amadurecem, enquanto lidam com sentimentos diversos, perdas e separações.

PNLD 2021 obra aprovada

O caderno do jardineiro

Trazendo poemas delicados e elegantes, com grande profundidade de sentido, além de temas importantes como meio ambiente e arte, os versos em ‘O caderno do jardineiro’ brincam com a sonoridade e o sentido das palavras, revelando uma poesia madura e consistente. 

PNLD 2021 obra aprovada

O rapaz que não era de Liverpool

Destacando o impacto de uma grande mudança na vida de um jovem, ‘O rapaz que não era de Liverpool – 2ª edição’ conquistou diversos prêmios, como: Programa Minha Biblioteca (2010), Prêmio Barco a Vapor, Brasil (2005), White Rivens Catalogue (2007), Seleção FNLIJ para o catálogo de Bolonha (2007) e muito mais.

PNLD 2021 obra aprovada

Sonho de uma noite de verão

A 2ª edição de ‘Sonho de uma noite de verão’ é uma versão romanceada da peça homônima de William Shakespeare, na qual acompanhamos uma história de amores em desencontro, até que em uma noite de solstício tudo tende a mudar… 

PNLD 2021 obra aprovada

Irmãos para sempre

Descobrindo um senso de justiça e de cidadania que nos leva a entender, de outra forma, o significado de “irmão”, ‘Irmãos para sempre’ nos convida para uma viagem à Cidade do México, em uma aventura empolgante nos Jogos Olímpicos de 1968.

PNLD 2021 obra aprovada

Marie Curie no país da Ciência

Essa é uma biografia ilustrada sobre uma das maiores cientistas de todos os tempos e sua história de coragem, protagonismo, solidariedade e amor à ciência. Sua dedicação, inclusive, foi valorizada muito além das páginas e, recentemente, a Netflix lançou Radioactive, cinebiografia da pesquisadora. 

PNLD 2021 obra aprovada

Nos estilhaços de espelho

Na narrativa, a autora Florence Hinckel nos apresenta Cleo, uma garota de quinze anos que decide homenagear, em textos de seu diário, sua escritora predileta, Anne Frank, estabelecendo um diálogo imaginário pautado por reflexões sobre si mesma e as complexidades do mundo. 

PNLD 2021 obra aprovada

O jogo de ler o mundo

Permeada por delicadas ilustrações, essa coletânea de vinte e três poemas explora com sutileza diferentes formas de ler o mundo por meio de reflexões sobre o cotidiano e eventos da atualidade.

PNLD 2021 obra aprovada

Peças de um dominó

Acompanhe um romance sobre família, amadurecimento e perda. ‘Peças de um dominó’ nos carrega numa jornada de aprendizado, bravura e enfrentamento de grandes dificuldades.

PNLD 2021 obra aprovada

Tomoromu – a árvore da vida

Com esse belíssimo livro ilustrado, seus alunos terão contato com uma história que retrata e reforça a importância das tradições em nossas vidas. Conheça a narrativa de tradição oral do povo Wapichana, um dos mais de trezentos povos originários que vivem no Brasil.

PNLD 2021 obra aprovada

Agora você já conhece as obras da SM Educação aprovadas no Objeto 5 do PNLD 2021. Acesse nosso site e tenha acesso aos livros na íntegra para te ajudar na escolha dos melhores livros didáticos para a sua instituição de ensino. 

Faça sua escolha no Objeto 5 do PNLD 2021

Com o início de um novo ano letivo, também entra no radar das escolas públicas o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). Como de costume, a SM Educação inicia essa jornada com um conteúdo repleto de informações importantes para que você fique por dentro de tudo sobre o assunto. Então, chegou a hora de conhecer a dinâmica do PNLD 2023!

Como funciona e como será organizado o PNLD 2023?

Para definir quais obras serão adotadas por escolas públicas de todos o Brasil, o sistema de educação básica brasileiro segue o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). 

E funciona da seguinte forma: a cada quatro anos, as editoras – como a SM Educação, produzem novos materiais para um determinado segmento de ensino e, seguindo os critérios do Programa.

Caso os livros sejam aprovados, as escolas poderão analisar e selecionar as obras que melhor se encaixam em suas propostas de aulas.

É importante destacar que, em 2023, o PNLD será destinado aos anos iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) e composto por quatro objetos:

Objetos do PNLD 2023. Objeto 01: Obras didáticas. Objeto 02: Obras didáticas - livro e manual de práticas e acompanhamento de aprendizagem. Objeto 03: Obras literárias. Objeto 04: Obras pedagógicas para professores e gestores e recursos educacionais digitais.

Para ajudar você nesse processo, nas próximas publicações da SM Educação, traremos alguns pontos-chave do Programa, que serão de grande relevância para entender o projeto. 

Veja, na imagem abaixo, a dinâmica dos tópicos que vamos abordar neste artigo e, em seguida, confira todos os detalhes.

Fluxograma do PNLD 2023. Objetos do PNLD 2023 - Categorias e componentes - Divisão e distribuição das obras.

Entenda os objetos do PNLD 2023

Objeto 1

No Objeto 1 do PNLD 2023, cada obra didática poderá ser escolhida sob uma das seguintes categorias: categoria 1, como obra por área, ou na categoria 2, como componente ou especialidade.

Tabelas apresentando a categoria 1 do Objeto 1 - Obras didáticas por área do PNLD 2023.
Tabelas apresentando a categoria 2 do Objeto 1 - Obras didáticas por componente ou especialidade do PNLD 2023.

Categoria: área

Na categoria por área, serão consideradas obras de Língua Portuguesa, Arte e Educação Física, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas.

Divisão/Distribuição

Para o aluno, são destinados cinco volumes por área do livro do estudante, em versão impressa e digital.

para o professor, será direcionado o manual do educador, impresso e digital, com cinco volumes cada, exceto Arte e Educação Física, que acompanham dois volumes adicionais de Educação Física.

Categoria: componente ou especialidade

Na categoria por componente ou especialidade, serão consideradas as obras de Arte, Educação Física, Geografia, História e projetos integradores.

Divisão/Distribuição

Nessa categoria, são destinados ao estudante cinco volumes do material impresso e digital de Arte, Geografia e História, além de dois volumes de projetos integradores, para alunos do 4° e 5° ano.  

Para o professor, a categoria atribui o manual do professor impresso e digital com cinco volumes de Arte, Geografia e História, além de dois de projetos integradores e dois volumes de Educação Física.


Objeto 2 

No Objeto 2, em 2023, cada obra de práticas e acompanhamento da aprendizagem poderá ser escolhida sob uma das seguintes categorias: categoria 1, como obra por área, ou na categoria 2, como obra por componente ou especialidade.

Tabelas apresentando a categoria 1 do Objeto 2 - Obras didáticas por área do PNLD 2023.
Tabelas apresentando a categoria 2 do Objeto 2 - Obras didáticas por componente ou especialidade do PNLD 2023.

Categoria: área

Na categoria 1, por área, serão consideradas obras de Língua Portuguesa, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas

Divisão/Distribuição

Para o estudante, na categoria por área são destinados aos alunos cinco volumes de práticas e acompanhamento da aprendizagem de Língua Portuguesa e Matemática, mais dois volumes de Ciências da Natureza e Ciências Humanas para 4º e 5º apenas no formato impresso.

Já para o professor, a escolha por área atribui cinco volumes de manuais de práticas e acompanhamento da aprendizagem de Língua Portuguesa e Matemática em formato PDF.

Além disso, dispõe de dois volumes de manuais de práticas e acompanhamento da aprendizagem de Ciências da Natureza e Ciências Humanas, também em PDF.


Categoria: componente ou especialidade

Na categoria 2, por componente ou especialidade, o professor pode escolher Arte, Geografia e História.


Divisão/Distribuição

Aqui, são destinados ao aluno cinco volumes por área do livro do estudante “práticas e acompanhamento da aprendizagem” de Arte, no formato impresso, além de dois volumes por área do livro de Geografia e História (do 4º e 5º ano), no mesmo formato.

Para o professor, a escolha do material por componente  ou especialidade atribui cinco volumes de manuais de “práticas e acompanhamento da aprendizagem” de Arte em PDF, mais dois volumes de Geografia e História.

Objeto 3

Para o Objeto 3 – obras literárias, a escolha poderá ser feita nas seguintes categorias: categoria 1, com obras literárias do 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental, ou na categoria 2, com obras literárias do 4º e 5º ano do Ensino Fundamental.

Tabelas apresentando a categoria 1 do Objeto 3 - Obras literárias do 1 ao 3 ano.

Divisão/Distribuição

Para o estudante, o Objeto 3 destina um livro literário impresso e digital, além de um videotutorial voltado para suas necessidades.

para o professor, um livro literário impresso e digital, um material digital de apoio à prática do educador, além de um vídeo tutorial voltado às suas atividades.

Objeto 4

Por fim, o Objeto 4 do PNLD 2023 é o de obras pedagógicas destinadas a professores e gestores e recursos educacionais digitais destinados aos professores, e está classificado em duas categorias: categoria 1, como obra pedagógica, ou a categoria 2, como recursos educacionais digitais.

Tabelas apresentando a categoria 1 do Objeto 4 - Obras pedagógicas destinada aos Professores e Gestores do 1 ao 5 ano.
Tabelas apresentando a categoria 2 do Objeto 4 - Recursos educacionais digitais por área.

Categoria: obra pedagógica

Cada obra pedagógica da categoria 1 destinada aos professores e gestores deverá apoiar os profissionais na construção e aplicação de procedimentos de avaliação diagnóstica, formativa, de processo ou de resultado que levem em conta os contextos e as condições de aprendizagem. 

Isso deve ser feito tomando tais registros como referência para melhorar o desempenho da escola, dos professores e dos alunos, contemplando avaliações para acompanhamento da aprendizagem, e avaliações educacionais nacionais e internacionais.

Divisão/Distribuição

O professor recebe um livro do educador impresso, além de uma versão digital do mesmo material em PDF e um videotutorial que apresenta a organização e proposta do material.

Já para o gestor, um livro do gestor impresso e um digital, em PDF, além de um videotutorial que apresenta e orienta o melhor uso do livro.

Categoria: recursos educacionais digitais por área 

A categoria 2, recursos educacionais digitais por área, é composta por Língua Portuguesa, Arte e Educação Física, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas.

Os professores recebem um videotutorial (exceto para Educação Física), um material digital em formato PDF, em cinco volumes, um para cada ano (exceto para Educação Física, que apresenta conteúdos dos cinco anos letivos em um único volume). 

Nessa categoria também são apresentados cinco conjuntos de audiovisuais para serem usados com os alunos, um conjunto para cada ano letivo dos anos iniciais.

A SM Educação estará pronta para oferecer os melhores materiais no PNLD 2023 


Assim como acontece todos os anos, a SM Educação estará presente em mais uma edição do PNLD, sempre oferecendo materiais qualificados, adequados e apoiados por um trabalho que comprovadamente traz resultados, já que são produzidos com base na expertise de quem é referência.

Mais do que isso, estaremos lado a lado com a sua escola para oferecer apoio e orientação em todas as etapas do Programa, com conteúdos indispensáveis para quem busca fazer a melhor escolha de materiais.

Então, continue acompanhando nossas publicações e conte com nossa equipe especializada para tirar todas as dúvidas. 

No PNLD 2023, escolha SM Educação, porque juntos cuidamos da educação!

Nos anos iniciais, contar com o apoio da SM Educação é a melhor opção

A melhor forma de acompanhar as mudanças no Ensino Fundamental está aqui!

Conheça nossa Central de Conteúdo | Anos Iniciais

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um distúrbio que afeta cerca de 5% das crianças e se caracteriza por sintomas como impulsividade, inquietude e desatenção. Alunos com TDAH podem ter prejuízos no rendimento escolar, pois o transtorno frequentemente faz com que as crianças apresentem dificuldade de concentração e hiperatividade durante as aulas, sendo um componente desafiador para o desenvolvimento do aprendizado.

Educadores que trabalham com crianças com essas características precisam se preparar, adotando métodos e estratégias pedagógicas para otimizar o ensino desses alunos. Além do mais, saber lidar com as diferenças de aprendizagem é importante para apoiar e elevar o desenvolvimento da criança, ajudando a integrá-la com os demais colegas de classe.

Neste texto, mostraremos cinco estratégias pedagógicas para ensinar alunos com TDAH. Continue a leitura e confira!

1. Variar a rotina de ensino

Alunos com TDAH tendem a dispersar e se entediar muito rápido. Por isso, em sala de aula, procure variar a rotina e foque em métodos que contribuam para melhorar a concentração das crianças. Atividades que incluem estímulos audiovisuais, computadores e livros coloridos são interessantes para diversificar o ensino — a diversidade de materiais aumenta o interesse dos alunos nas aulas.

Outro ponto importante é que muitas vezes essas crianças respondem melhor à aprendizagem prática, ou seja, para elas, é mais interessante fazer do que ouvir. Dessa forma, peça aos alunos que desenhem as estruturas que estão sendo ensinadas, dê aulas práticas no laboratório ou peça a eles que digitem o conteúdo em um computador.

Outra dica: interpretar cenas de história. Em vez de pedir leituras e resumos, organize atividades para os alunos encenarem os acontecimentos. Isso permite que os fatos e datas sejam gravados com mais facilidade.

2. Incentivar a prática e repetição

Essas crianças podem ter dificuldade para memorizar sequências, além de se desorganizarem com muita facilidade. Assim, elas tendem a esquecer conteúdos, fórmulas e conceitos — matérias que exigem aulas monótonas e decorativas são desafiadoras para alunos com TDAH.

Portanto, ao dar alguma instrução ou abordar um assunto com detalhes que exigem mais atenção da criança, incentive sempre a repetição em sala. Reforce a mesma metodologia no decorrer da aula (sem cansá-la, é claro) e sempre peça ao aluno que repita o que foi passado ou compartilhe a informação com um colega antes de iniciar alguma atividade.

3. Passar uma instrução por vez

Como a concentração dos alunos com TDAH é mais dispersa, procure dividir as atividades em partes bem delimitadas para não causar confusão. Além disso, dê uma instrução por vez, sempre fazendo contato visual para reforçar a informação.

Seja sempre muito claro sobre as tarefas, tanto as que serão feitas em casa quanto as de sala de aula. Estabeleça prazos e deixe bem explicadas as instruções.

4. Aplicar o reforço positivo

O reforço positivo é fundamental para alunos com TDAH. Sempre que a criança for bem-sucedida em alguma tarefa, aplique um feedback positivo por meio de elogios ou prêmios — palavras de incentivo, estrelinhas no caderno ou, até mesmo, um aceno positivo com a mão.

Em hipótese alguma aponte erros ou critique a criança. Alunos com TDAH precisam de encorajamento e suporte constantes. Destacar falhas pode fazer essa criança ficar introvertida e com baixa autoestima. A atitude positiva do educador é decisiva no aprendizado.

5. Manter uma boa comunicação com a família

A comunicação com os pais ou responsáveis de alunos com TDAH é fundamental para o desenvolvimento das crianças. Usar uma agenda como canal de comunicação é muito recomendado. Nela, os pais podem escrever sobre o comportamento diário do filho, e o educador pode fazer o mesmo sobre as questões relacionadas à escola.

Orientar os pais ou responsáveis sobre as dificuldades e necessidades da criança facilita o aprendizado dela. Por exemplo: peça a eles que encapem os livros e cadernos dos filhos com cores diferentes. Isso ajuda na organização e memorização dos materiais. Ter esse relacionamento com os pais é importante para que o aprendizado do aluno seja completo.

Alunos com TDAH são crianças muito inteligentes e têm muito potencial, desde que recebam a atenção necessária para se desenvolver. Seguindo essas dicas, você poderá personalizar o ensino e ajudar seus alunos a vencerem qualquer dificuldade.

Gostou dessas dicas para ensinar alunos com TDAH? Então, não deixe de conferir os 5 segredos para melhorar a prática pedagógica e aprenda a inovar cada vez mais!


Os desafios do educador na sociedade atual seguem em expansão. Não seria equivocado pensar que as mudanças em sala de aula estão direta ou indiretamente ligadas à tecnologia. Os softwares educacionais gratuitos representam bem as contribuições positivas que a tecnologia está trazendo para o processo de ensino-aprendizagem.

No entanto, ainda há aqueles que enxergam a tecnologia como uma vilã — quando, na verdade, disponibiliza uma série de ferramentas que vêm apoiando educadores pelo mundo.

Trata-se de recursos que devem ser vistos como aliados, desde que usados para objetivos educativos e objetivos pedagógicos. Veja, logo abaixo, alguns exemplos:

1. Plickers: avaliações em tempo real

O Plickers é indicado para fazer avaliações rápidas e em tempo real na sala de aula, ajudando os educadores a acompanhar o desempenho de suas turmas no dia a dia.

A ferramenta funciona da seguinte maneira: o educador cadastra as turmas e os alunos individualmente na versão web do Plickers, elabora as questões (múltipla escolha ou verdadeiro/falso) e, por meio da versão para dispositivos móveis, acessa as questões em formato de cards e os utiliza durante a aula.

Para corrigir o teste, os alunos recebem uma espécie de código impresso (gerado pela própria plataforma para identificar o estudante). O educador seleciona a questão no aplicativo para celular e a lança em um projetor. Em seguida, basta apontar a câmera do dispositivo para os códigos e deixar que o Plickers escaneie as respostas.

A ferramenta reconhece as respostas pelo formato do código. As informações colhidas permitem aos educadores identificar dificuldades, avaliar os alunos e traçar novas estratégias de ensino. O Plickers é um dos softwares educacionais gratuitos, exige conexão com a internet e está disponível somente em inglês.

2. G Suite for Education: várias ferramentas em um só lugar

O G Suite for Education é um programa em nuvem e gratuito oferecido pelo Google para tornar a rotina do professor e do estudante mais colaborativa e moderna.

A plataforma se destaca por integrar uma série de ferramentas conhecidas pelos usuários do Google: Google Classroom, Gmail, Google Docs, Google Drive, Google Agenda, websites (é oferecida gratuitamente uma ferramenta para criar um website da turma ou de um projeto), Hangouts e Google Vault.

O G Suite já vem sendo adotado em várias escolas (no Ensino Fundamental e Ensino Médio), universidades e cooperativas de educação domiciliar. Ele pode ser facilmente utilizado via web e dispositivos móveis.

Para se inscrever, educadores e alunos devem ter contas ativas no Google. O professor interessado em entender como usar com precisão o G Suite for Education tem acesso a um treinamento completo oferecido gratuitamente pelo Google. A implementação da plataforma leva, em média, seis semanas.

3. Simplifica: praticidade entre os softwares educacionais

O Simplifica é uma solução inteligente que serve para simplificar de diversas maneiras a vida do docente do Ensino Médio e otimizar o processo de aprendizagem. Ele é oferecido pela SM Educação, grupo de empresas de serviços educacionais que está presente em dez países e atua no Brasil desde 2004.

A plataforma funciona de maneira integrada ao gerador de provas e simulados da SM instalado em um computador.

Após baixar o app do Simplifica, é preciso cadastrar as turmas, os alunos individualmente e as provas. Para realizar a correção das provas ou dos simulados gerados, o aplicativo liga a câmera do celular para fazer um scanner de cada cartão-resposta, com identificação automática do aluno. Simples e prático!

Com esses poucos passos, o educador tem na palma da mão análises e estatísticas sobre o desempenho da turma e de cada aluno. Tudo isso diretamente no aplicativo. Gratuito, disponível em português e sem período de implementação, o Simplifica e os demais softwares educacionais indicados aqui são de grande ajuda para a rotina do professor e para a aprendizagem dos alunos.

O futuro começa na sala de aula! Baixe agora o aplicativo Simplifica, disponível na App Store e no Google Play.


Você sabia que as histórias contadas às crianças podem ficar guardadas para sempre na memória delas? Por esse motivo, é muito importante que os educadores se mantenham atualizados com as tendências da literatura infantil, de modo a passar os ensinamentos em sala de aula de acordo com as vivências das novas gerações.

As transformações da sociedade mudaram as experiências de crianças e jovens. Assim, as histórias, além de trabalharem o lúdico, a poesia e a linguagem para as respectivas faixas etárias, precisam despertar suas habilidades cognitivas e transmitir mensagens positivas.

Neste post, mostramos as principais tendências da literatura infantil para que você, educador, possa aproveitá-las na sala de aula. Confira!

Uma história, de Marianna Coppo

Era uma vez uma página em branco. Contudo, não ficou assim por muito tempo. Uma história, de Marianna Coppo, é uma narrativa muito bem-humorada e ilustrada que propõe uma reflexão sobre o conformismo, o receio pelo desconhecido e a insegurança diante da iniciativa e da vontade de melhorar o mundo que nos rodeia.

A obra fala sobre um livro que é repleto de personagens, porém sem história. A maioria deles prefere esperar que a história chegue. No entanto, o coelhinho resolve tomar a frente e, com a ajuda de alguns lápis e de sua imaginação, cria uma narrativa que envolve todos os seus amigos.

Esse livro é muito interessante por mostrar que não fazer nada ou agir é uma questão de atitude e que somos os responsáveis por mudar nosso trajeto — enquanto um personagem opta por criar sua história e se divertir, os outros apenas esperam para cumprir seus papéis.

A vaca presepeira, de João Paulo Hergesel

A vaca presepeira é uma obra que rendeu ao escritor João Paulo Hergesel o primeiro lugar no Prêmio Barco Vapor 2018, um dos mais importantes nas tendências da literatura infantil. O livro conta a história de uma vaca de presépio que sonha em ser rena de Papai Noel e luta contra todos os preconceitos para alcançar seu objetivo.

A vaca Juno, que trabalha como atriz no presépio da fazenda, vive uma vida pacata e até feliz, mas sua vontade é ser rena de Papai Noel. Para isso, além de aprender a voar, Juno precisa de muita paciência e trabalho, sem se desanimar com as piadas e preconceitos que sofrerá no caminho.

Na-Na-Ni-Na Não, de Alonso Núñez

Na-Na-Ni-Na Não narra a história de um menino que não quer, de forma alguma, ir à escola. Suas razões para isso são várias, como uma professora com mais de uma cabeça, gêmeos que parecem zumbis e um ônibus que devora as crianças.

Entretanto, logo ele descobre que a escola pode ser um lugar interessante e com muita diversão. O autor da obra, o espanhol Alonso Núñez, usa uma narrativa bem-humorada e poética que retrata o medo das crianças de ir à escola.

Zim Tam Tum, de Frédéric Stehr

Zim Tam Tum é um livro do autor francês Frédéric Stehr que conta a história de vários filhotes de aves brincando de fazer músicas com acessórios de cozinha. Com muita imaginação e felicidade, a corujinha, o canário, o corvo, o pardal e o pintinho transformam tigelas, tampas, escorredor de macarrão e muitos outros objetos em instrumentos musicais.

Essa obra explora a musicalização infantil e a criatividade para produzir sons com objetos do dia a dia, além de desenvolver experiências sensoriais, melhorar o relacionamento em grupo e a imaginação dos pequenos.

Manter-se atualizado com as tendências da literatura infantil é uma forma excelente de contribuir para o aprendizado das crianças. Afinal, a sociedade se transforma a todo momento e as vivências experienciadas por elas também.

Gostou de conhecer algumas das principais tendências da literatura infantil? Então, veja o catálogo de literatura da SM Educação. São diferentes obras que, além de entreter e promover a competência leitora do público infantil e juvenil, estão repletas de mensagens educativas. Conheça já!


Atualmente, a internet é uma ferramenta muito valiosa na busca por conhecimento. Com ela, obter dados, fazer pesquisas e coletar materiais diversos se tornou algo simples e totalmente acessível. Por essa razão, navegar em um blog sobre educação é uma maneira de filtrar quais informações são realmente relevantes.

Muitos educadores compartilham conhecimentos por meio desses blogs. Isso colabora para a criação de um conteúdo mais rico e informativo, além de fomentar a discussão de temas que são importantes para a educação atual.

Neste post, mostramos cinco blogs educativos que podem contribuir muito para seu desenvolvimento profissional. Confira!

1. SM Educação

A SM Educação é responsável pela elaboração e oferta de recursos e serviços educacionais diversos, especialmente materiais didáticos, literatura infantil e juvenil, livros para o ensino religioso, idiomas e soluções de tecnologia educacional.

Por ter experiência na produção de conteúdos didáticos, em seu blog sobre educaçãoeste mesmo que você está lendo!, a SM apresenta assuntos de interesse dos educadores, como: preparação de aulas, tecnologia na sala de aula, aprendizado eficiente, além de informações sobre livros e dicas para prender a atenção dos alunos.

Neste blog, você terá acesso a métodos que, além de melhorar suas aulas, contribuirão para o seu desenvolvimento profissional.

2. Portal do Educador

O Portal do Educador é um blog sobre educação sem fins lucrativos que acredita na mudança do papel tradicional dos educadores e da escola. Por meio de produção de conteúdos, promove a divulgação de experiências e pesquisas que incentivam uma educação mais livre, democrática, integral e inclusiva.

Além disso, oferece consultoria pedagógica, cursos, eventos e palestras para a formação de educadores. Nesse portal, você encontrará diversas informações úteis para o seu dia a dia, principalmente sobre os seus direitos e dos seus alunos.

3. Instituto Internacional de Educação do Brasil

O Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) é uma organização independente, criada em 1998 com o objetivo de conscientizar e capacitar as pessoas para a conservação ambiental, a fim de formar uma sociedade mais sustentável.

Nesse blog sobre educação, existem diversos textos sobre meio ambiente, desenvolvimento e sustentabilidade. O IEB aplica uma abordagem própria, baseado em metodologias replicáveis e participativas, que buscam incentivar o respeito aos territórios, à diversidade e às características regionais.

Oferece cursos de capacitação, materiais e livros relacionados a gestão ambiental, além de notícias que informam os leitores sobre sustentabilidade, territórios indígenas e o rico ecossistema brasileiro.

4. Portal Porvir

O Portal Porvir é uma iniciativa do Instituto Inspirare, que defende uma nova forma de educar, promovendo o desenvolvimento integral dos alunos — intelectual, cultural, emocional, físico e social.

Esse blog sobre educação cria e compartilha informações e tendências sobre os novos métodos de ensino. A ideia é incentivar, tanto a mídia quanto a sociedade, a compreender a necessidade de mudanças na educação brasileira.

Além das dicas para o dia a dia dos educadores, nesse portal você encontrará informações sobre currículo, gestão educacional, metodologias, pesquisas e notícias relacionadas a tecnologia e perspectivas dos alunos.

5. Oficina de Educação

Esse blog é escrito pela educadora Gládis Leal, que é especialista em mídias e tecnologias na educação. Como já é de se imaginar, o foco aqui é o uso de tecnologia nas salas de aula. O site tem vários artigos que explicam como usar essas ferramentas para melhorar o ensino, além de dicas para criação de jogos didáticos.

Uma grande vantagem de acompanhar o Oficina de Educação é a leitura de posts sobre como usar os recursos tecnológicos e jogos interativos para melhorar as atividades escolares, já que saber explorar a tecnologia é muito importante para educar a nova geração de estudantes.

A internet é repleta de informações relevantes que você pode usar para se informar e aprimorar seus conhecimentos. Fazer leituras e pesquisas em um blog sobre educação é muito vantajoso, pois você encontra dicas valiosas sobre métodos educacionais que podem auxiliar no seu desenvolvimento como educador!

E então, gostou das nossas dicas? Esperamos que sim! Se você achou essas informações relevantes, compartilhe nas suas redes sociais!


O surgimento da tecnologia e da informatização trouxe várias mudanças para a sociedade. Como parte fundamental dessas inovações, a educação também apresentou grandes transformações, especialmente com os novos métodos de ensino-aprendizagem.

As mudanças causaram impactos positivos, não somente para os alunos mas também para os educadores. Por esse motivo, neste post mostraremos os métodos de ensino mais utilizados e como eles podem influenciar no rendimento dos seus alunos. Acompanhe!

Saiba porque inovar nos métodos de ensino-aprendizagem

Atualmente, diversas instituições de ensino, tanto no Brasil quanto em outras partes do mundo, estão aderindo a novos métodos de ensino-aprendizagem. Essas metodologias criam maneiras inovadoras de ensinar as crianças das novas gerações.

Os alunos apresentam dificuldades de aprendizado por diversos motivos, entre eles a priorização e o desenvolvimento de competências pensadas para gerações passadas, que não conviviam com a tecnologia.

Escolas que vão além desses padrões, que incentivam a criatividade e valorizam os pensamentos e habilidades diferentes, colaboram para o desenvolvimento de alunos empreendedores e com senso crítico apurado — habilidades importantes para essa nova geração.

Conheça os melhores métodos de ensino-aprendizagem

Nas últimas décadas, a maneira de ensinar mudou. Confira três métodos de ensino que podem melhorar o desenvolvimento dos alunos:

1. Aprendizagem por experimentação

Com esse método, os alunos aprendem por meio de testes, prototipagens e descobertas. Um bom exemplo da aplicabilidade da experimentação se dá nas aulas de Ciências. Ao realizar experimentos sobre o funcionamento dos geradores de energia, os materiais que conduzem ou isolam a passagem de corrente elétrica, por exemplo, o aluno consegue estabelecer a relação entre a teoria e a prática.

Comparando esse método com o tradicional, percebe-se que ele apresenta mais que a teoria. Afinal, o aluno que não consegue aplicar esses conhecimentos em situações do seu cotidiano não conseguiu desenvolver corretamente todas as habilidades e competências necessárias. A experimentação é um fator importante para permitir a real compreensão e a capacidade de tomar decisões baseadas no conhecimento.

2. Aprendizagem por desafios

Esse é um dos métodos de ensino-aprendizagem mais eficaz para engajar e incentivar os alunos em sala de aula. O estudante se esforça para encontrar soluções dentro de um contexto — usando tanto a tecnologia, que é inerente aos métodos de ensino atuais, como outros meios.

É muito diferente de decorar e reproduzir. Com esse método, os estudantes precisam buscar conhecimentos por si mesmos, desenvolvendo pensamento crítico e habilidade de resolver problemas. Contudo, os educadores precisam fornecer feedbacks para mostrar quais foram os erros e acertos.

3. Aprendizagem baseada em jogos

Os jogos são uma paixão de muitas pessoas — não importa a idade. Por isso, é muito interessante usar esse modelo para promover informações e novos conhecimentos. Desenvolver jogos com os alunos, sejam eletrônicos, sejam analógicos, para facilitar a compreensão do funcionamento da lógica e da tecnologia, ou jogos de cartas e tabuleiros, para o ensino da matemática, é muito benéfico.

Os modelos tradicionais de ensino já não são suficientes para as crianças da geração alpha (nascidas a partir de 2010), que são curiosas e lidam com tecnologia e jogos com muita naturalidade. O jogo em si é um objeto do saber.

Jogos educativos proporcionam um ambiente crítico, fazendo com que os alunos se sensibilizem para a construção de novos conhecimentos, além de desenvolverem suas cognições de maneira mais prazerosa.

Aprenda a escolher os melhores métodos de ensino-aprendizagem

Uma grande dificuldade dos educadores é escolher os melhores métodos de ensino-aprendizagem. Isso porque os alunos têm formas diferentes de compreender o conteúdo, e o que funciona para um pode não funcionar para o outro.

O ideal é não se limitar a apenas um método, mas manter uma abertura para experimentar novas abordagens e se adequar conforme os resultados em sala de aula. Veja com qual deles os estudantes mostram mais entusiasmo e melhor aprendizado. A partir daí, você poderá definir a opção mais apropriada.

Os novos métodos de ensino-aprendizagem acompanham a atual geração de crianças, que usam a tecnologia como forma de adquirir saberes, são curiosas e aprendem muito mais rápido. Assim, cabe aos educadores e escolas se adequarem para usar esses novos conhecimentos na expansão do desenvolvimento dos alunos.

O que achou desse conteúdo? Se você gostou, não deixe de compartilhá-lo nas redes sociais!


A educação proporciona experiências que nos marcam para toda a vida. As relações e aprendizados que surgem na escola entre professores, estudantes e toda a comunidade escolar nos permitem viver experiências ricas de desenvolvimento pessoal e superação. Por isso, as histórias do cinema e da TV fazem com que todos se identifiquem de alguma forma com diversas situações.

Confira sugestões de filmes e séries para refletir sobre educação em diversas culturas e pontos de vista:

O Melhor Professor da Minha Vida (2017)

Fonte/Imagem

Neste longa francês, o professor François Foucault se encontra em uma situação delicada quando é transferido de seu emprego em uma instituição de elite para lecionar em uma escola pública na periferia de Paris. Mais do que ensinar, ele terá que aprender com os alunos e mudar sua visão de mundo para lidar com as dificuldades da classe.

Por que assistir: o conflito entre professores rígidos e alunos rebeldes continua sendo um tema interessante para contar boas histórias. O filme traz novo fôlego à discussão da relação entre professor e aluno e ao conceito de “aluno-problema”, com um tom mais leve e doses de humor.

Que Horas Ela Volta? (2015)

Fonte/Imagem

Val deixa sua filha pequena em Pernambuco e se muda para São Paulo em busca de emprego. Assim, ela consegue estabilidade como babá e empregada doméstica em uma casa de classe alta. Porém, depois de 13 anos, sua filha vai a seu encontro na metrópole com o objetivo de prestar vestibular e estudar em uma universidade pública, desafiando Val a questionar sua relação com seus patrões.

Por que assistir: entre seus diversos temas, o filme retrata as maneiras como a educação formal e níveis de instrução são desenvolvidos em diferentes gerações e classes sociais no Brasil, e como a desigualdade social e o preconceito podem influenciar comportamentos e escolhas.

Escritores da Liberdade (2007)

Fonte/Imagem

Erin Gruwell é uma professora recém-formada, disposta a fazer a diferença em sua profissão, até que se vê diante de uma classe de alunos envolvidos em conflitos de segregação racial, colegas de trabalho desmotivados e espaços da escola em ruínas. Ela acredita no potencial da turma e assume o desafio de educar os jovens e melhorar o ambiente violento da escola.

Por que assistir: o filme é baseado na história real de Erin Gruwell, uma professora na Califórnia, Estados Unidos, que conseguiu transformar seus alunos lidando com a intolerância e o preconceito.

A Onda (2008)

Fonte/Imagem

Ao enfrentar dificuldades para ganhar a atenção de seus alunos nas aulas sobre autocracia, o professor Rainer Wenger decide desenvolver um experimento diferente em sala de aula: simular uma ditadura, similar ao nazismo, em que o professor assume o papel de líder e os alunos formam seu grupo de seguidores.  Em pouco tempo, a experiência ganha proporções assustadoras e mostra o poder do fanatismo no grupo.

Por que assistir: com seu roteiro impactante, ambientado em uma escola alemã contemporânea, A Onda envolve conceitos de História, Sociologia e Filosofia, e pode ser contextualizado também com as questões de disseminação de ideias em discursos de ódio.

Madadayo (1993)

Fonte/Imagem

Madadayo acompanha a vida de um professor no momento de sua aposentadoria que, mesmo após deixar a sala de aula, continua sendo lembrado por todos com sua influência que atravessa gerações. Assim, ele mantém o elo com sua profissão e seus ex-alunos já adultos, que comemoram o aniversário de seu mestre e se reúnem todo ano. O filme mostra a ação transformadora da docência ao longo da vida do professor.

Por que assistir: o último filme dirigido por Akira Kurosawa é um bom representante da cultura e modelo de educação orientais e se passa em um período importante da história do Japão, incluindo em seus temas os ataques a Hiroshima e Nagasaki. O filme foi inspirado nos relatos autobiográficos de Hyakken Uchida (1889-1971), professor e autor de diversos romances e ensaios.

Hoje eu Quero Voltar Sozinho (2014)

Fonte/Imagem

Leonardo é um estudante no Ensino Médio que passa pela fase de descobertas e mudanças típicas da adolescência. Porém, ele é cego desde o nascimento e busca maneiras de ser independente, superar o preconceito e evitar a superproteção da família e dos amigos. Quando ele se aproxima de um novo colega, passa a questionar suas relações e sentimentos enquanto lida com seus dilemas.

Por que assistir: a história aborda o universo adolescente e as relações humanas de forma sutil e sensível, além da questão da acessibilidade e da educação emocional. Destaque do cinema nacional, o longa foi premiado no Festival de Berlim e participou da seleção de indicados ao Oscar na categoria de Melhor Filme Estrangeiro, em 2015.

Sociedade dos Poetas Mortos (1989)

Fonte/Imagem

Os alunos da Academia Welton, um colégio de elite só para meninos, vivem sob constante pressão para ter notas máximas em seus exames e assim ingressar em universidades de prestígio no futuro. Mas a chegada de um novo professor de literatura, com sua proposta fora dos padrões, faz os jovens questionarem as imposições de seus pais e da direção da escola, encontrando suas verdadeiras paixões por meio da poesia.

Por que assistir: o filme continua atual ao retratar o poder transformador da arte e da literatura, além de mostrar como a inversão de papéis na sala de aula pode engajar o estudante. Entre os autores com obras citadas no filme, destacam-se Shakespeare, Walt Whitman e Henry David Thoreau. Vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Original.

Como Estrelas na Terra: Toda Criança é Especial (2007)

Fonte/Imagem

Ishaan tem 9 anos e passa por séries dificuldades de desempenho escolar. Ele já repetiu de ano e não mostra sinais de avanço, com chances de ser retido novamente. As dificuldades de Ishaan também afetam seu desenvolvimento social e ele está solitário e desmotivado. Suas chances mudam quando o professor substituto Nikumbh chega à escola e descobre que o garoto tem dislexia, e a partir daí assume o compromisso de mudar a vida da criança.

Por que assistir: um mergulho no sistema educacional indiano, o filme aborda temas muito relevantes também para a educação brasileira, como a retenção escolar e a adequação das escolas às crianças com necessidades especiais.

Rita (2014)

Fonte/Imagem

Com quatro temporadas, a série retrata a vida de Rita Madsen, professora em uma escola na Dinamarca. Enquanto enfrenta as dificuldades de criar seus três filhos sozinha, Rita precisa equilibrar seu dia a dia para lidar com os conflitos da escola e burocracias que prejudicam seu trabalho, pais de alunos furiosos, estresse e outras dificuldades enfrentadas pelos professores.

Por que assistir: Rita foge do clichê de professor super-herói para humanizar e aprofundar a vida de uma educadora dentro e fora da escola de forma sincera, com suas dificuldades e imperfeições, além de valorizar o protagonismo feminino. Tudo embalado por um tom bem-humorado e perspicaz.

Anne com E (2017)

Fonte/Imagem

A série, atualmente com duas temporadas disponíveis, conta a história de Anne Shirley, uma menina órfã no Canadá do século XIX que passa a morar em uma fazenda depois de ser adotada por engano por dois irmãos. Apesar de tudo, ela comemora o fato de finalmente fazer parte de uma família, e não abrirá mão de seu otimismo e leveza mesmo diante das dificuldades e inseguranças que enfrentará ao frequentar a escola e conhecer novas pessoas.

Por que assistir: a história é uma adaptação do livro clássico infantojuvenil Anne of Green Gables, da escritora canadense Lucy Maud Montgomery, publicado em 1908. A série é produzida em meio as belíssimas paisagens do interior do Canadá e cativa públicos de todas as idades.

Merlí (2015-2018)

Fonte/Imagem

A série espanhola retrata o dia a dia do professor de Filosofia Merlí Bergeron a partir do momento em que ele é contratado para lecionar no Ensino Médio. Enquanto passa por mudanças difíceis em sua vida pessoal, Merlí mobiliza seus alunos com sua abordagem disruptora das principais correntes de pensamento filosófico.

Por que assistir: cada episódio aborda o pensamento de um filósofo, partindo de Aristóteles e os peripatéticos. O professor Merlí consegue engajar os alunos nas aulas por meio da contextualização da vida dos adolescentes com a Filosofia, mostrando como as correntes de pensamento podem nos ajudar a refletir e esclarecer questões morais e éticas da vida social.


A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) nos convida a refletir sobre o que vamos ensinar, para que possamos desenvolver competências e habilidades que garantam a formação integral de nossos alunos. Logo, esse olhar nos remete a rever a organização curricular utilizada em nossa escola e quais as metodologias que escolheremos para que tudo seja possível e o processo de ensino e aprendizagem seja eficaz.

Parece, à primeira vista, que pensar nos tempos escolares e na organização dos espaços físicos não seja algo que mereça a atenção necessária, pois os tempos da escola (horários de aula, números de aulas para cada área do conhecimento, ano letivo, calendário) e os espaços (organização das carteiras, divisão dos ambientes) já são determinados.

Mas o tempo e o espaço são estruturantes para a cultura escolar, são ordens a serem aprendidas e influenciam diretamente na dinâmica social e cultural. Aprendemos com o tempo e com os lugares. São ferramentas pedagógicas e, portanto, devem fazer parte do planejamento da aula.

Baixe o artigo completo aqui.


Utilizamos cookies e outras tecnologias proprietárias e de terceiros para operar corretamente e com segurança o nosso site e personalizar o seu conteúdo. Nós também os usamos para analisar sua experiência de navegação e para adaptar a publicidade aos seus gostos e preferências. Política de cookies

Configurar ou Rejeitar Aceitar todos