Sobre a SM Fundação SM Formação Continuada Carreiras Contato
SM Aprendizagem

O livro didático é um dos materiais mais importantes durante o processo de alfabetização. Isso porque ele pode ajudar tanto o professor a preparar e dar aula como o aluno a estudar em casa.

Por isso, é muito importante fazer uma escolha que atenda os dois lados.

Com o uso do livro, fica mais fácil para o educador guiar as aulas e saber qual conteúdo trabalhar para desenvolver as competências dos estudantes.

Além disso, o livro permite flexibilidade, não impedindo a utilização de outras ferramentas de ensino.

Neste conteúdo, mostramos como os livros didáticos impactam o processo de alfabetização. Acompanhe! 

Entenda a importância do livro didático

O livro didático é um dos materiais mais usados em sala de aula. Com ele, o aluno consegue acompanhar o que o professor ensina.

O docente, por sua vez, pode planejar melhor suas aulas, direcionando o conteúdo de forma mais clara.

Sendo assim, também pode utilizar o livro didático para consultar os conteúdos, além das habilidades e competências de cada ciclo escolar.

O livro também serve como material de apoio para a preparação das aulas, ajudando a otimizar o tempo do profissional, já que contém imagens, atividades e exercícios prontos e também para serem feitos pelos alunos.

Com o livro didático, os alunos conseguem acompanhar o que está sendo ensinado em sala de aula e podem estudar em casa todo o conteúdo.

Mais do que isso, o livro ainda traz exercícios que os ajudam a fixar a matéria.

Quais são as características de um livro didático?

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) regulamenta quais são as aprendizagens essenciais a serem trabalhadas nas escolas do Brasil.

Grande parte dos conteúdos necessários é abordada nos livros didáticos. Esse tipo de material é composto por algumas características. São elas:

Antes de selecionar um livro adequado para determinada turma, é preciso que o professor e os coordenadores da escola façam reuniões para analisar as opções e escolher a melhor conforme suas necessidades.

É importante lembrar que o educador não precisa utilizar somente um material. O livro principal é escolhido, mas é possível complementar o ensino com outros recursos, como livros paradidáticos, vídeos, websites.  

Como escolher um bom livro para o processo de alfabetização?

Para selecionar a opção adequada, é preciso ler todo o conteúdo e analisar se ele está de acordo com o projeto político-pedagógico e com o currículo da instituição.

É muito importante que o conteúdo do material didático esteja organizado e atualizado conforme as mais recentes diretrizes educacionais.

Documentos como a BNCC apontam que a alfabetização deve ocorrer nos dois primeiros anos do Ensino Fundamental.

Além disso, os textos a serem utilizados no processo precisam mostrar como a linguagem se materializa em práticas sociais, com objetivo de facilitar a comunicação.

Dessa forma, ao escolher o livro didático, o educador tem que se atentar à função social dos textos propostos no material.

Os alunos devem desenvolver sua alfabetização apoiados em conteúdos reais e contextualizados, deixando de lado textos artificiais.

Uma boa dica é ouvir a opinião de outros educadores sobre livros que eles já utilizaram e qual foi a percepção. Assim, você poderá obter diferentes opiniões a respeito de um único material. 

O livro didático, mesmo tendo um papel importante no aprendizado de alunos, não deve ser o único material utilizado por professores.

Até mesmo para conseguir mais engajamento dos estudantes, é necessário propor atividades diferentes durante as aulas, inclusive as que envolvem tecnologia.

Agora você já sabe como escolher um livro didático e qual é a sua importância!

Caso precise de ajuda, a SM Educação está à disposição para ajudar você nesse processo. Entre em contato!


O livro didático utilizado em sala de aula é uma ferramenta muito importante tanto para o educador quanto para os alunos. A escolha do livro pode ser bem difícil, por haver diversas opções disponíveis no mercado. No entanto, é possível otimizar essa tarefa, escolhendo uma editora de livros didáticos de qualidade. Para isso, alguns critérios podem ser analisados e aprovados no processo de consideração.

O aprendizado dos alunos e a maneira como o professor dá aula podem ser mais simplificados, dependendo do livro utilizado em sala. Para ajudar você a saber o que analisar antes de escolher uma editora, fizemos este post. Quer mais detalhes? Confira!

O que define uma boa editora de livros didáticos?

Cumprir alguns critérios que colocam a editora como referência de mercado pode fazer toda a diferença no ensino do educador e no aprendizado do aluno. Uma boa editora possui as seguintes características:

Portanto, saber como é o trabalho da editora é fundamental na hora de escolher o livro didático que será utilizado em sala de aula. Assim, não ficam dúvidas de que há um esforço para a entrega de um material de qualidade.

Como escolher uma editora de livros didáticos?

A editora escolhida deve atender a todos os critérios que fazem com que o livro didático seja excelente. O material tem papel importante no aprendizado de crianças e adolescentes, além de ser um instrumento poderoso para o trabalho do educador. Por meio dele, é possível ter ideias de como abordar determinado assunto em sala e qual a melhor maneira de fazer o direcionamento dos conteúdos básicos que serão abordados. Vamos falar de algumas características que devem ser observadas em uma editora antes da escolha.

Apresentar propostas inovadoras

Inovar nas aulas pode ser muito interessante. Dessa forma, os alunos ficam mais engajados e se habituam a um ambiente de mudanças. Escolher uma editora que apresente propostas inovadoras e que permitam dar aulas mais criativas é ideal para o ensino. No entanto, é preciso que o livro esteja atualizado para não comprometer o aprendizado.

Ter adequação de acordo com o perfil do aluno e a estrutura curricular

Antes de escolher o livro didático, é preciso saber se ele estará de acordo com a idade e o perfil do aluno, com o objetivo de facilitar o processo de aprendizagem. Linguagem, vocabulário e construção de frases acessíveis e compatíveis com a série ajudam o estudante a entender o conteúdo. Além disso, o conteúdo de cada componente curricular precisa estar organizado de forma clara de acordo com as propostas oficiais que norteiam a aprendizagem na educação básica.

Ser alinhada com a identidade da escola

Escolher um livro e só depois descobrir que ele não se encaixa na identidade da escola pode ser muito ruim para o ensino e o aprendizado. Com o intuito de evitar que esse tipo de situação ocorra, é preciso que o professor/coordenador pedagógico avalie a proposta das publicações e verifique se é compatível com o Projeto Político Pedagógico (PPP) da escola.

Por que escolher a SM Educação?

A escolha dos livros didáticos utilizados em sala de aula deve atender a uma série de requisitos. A SM Educação é uma parceira da escola, ou seja, ajuda e propõe a solução para os estabelecimentos de ensino de acordo com as respectivas necessidades. Além disso, dá suporte para o uso dos materiais, com uma equipe de assessores bem treinados para esse tipo de atividade.

Saber escolher uma editora de livros didáticos ajuda de várias formas: os alunos têm o aprendizado mais eficiente e completo, e os professores contam com apoio para o seu trabalho dentro da escola. Por isso, na hora de selecionar os materiais a serem utilizados, veja se a editora cumpre os requisitos gerais e quais as especificidades da escola, para que o livro seja um complemento rico ao processo educativo.

Gostou de saber o que analisar ao escolher os livros didáticos? Entre em contato com a gente para entender como funciona o nosso processo de elaboração e oferta de conteúdos e serviços educativos!


Nos últimos anos, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) foi amplamente debatida nas pautas de educação — esse documento foi um dos que mais recebeu contribuições e sugestões na história do país. Isso mostra o quanto ele é importante, não apenas para os educadores, mas para todos.

O documento sobre a Educação Infantil e o Ensino Fundamental foi aprovado pelo Ministério da Educação no dia 20 de dezembro de 2017. Já para a etapa do Ensino Médio, a homologação ocorreu em 14 de dezembro de 2018. As instituições de educação básica no Brasil deverão, obrigatoriamente, orientar seus currículos com base nas diretrizes da BNCC. Por isso, é importante entender como esse documento funciona e quais são suas propostas para o ensino e para a aprendizagem.

Se você ficou interessado e quer saber mais sobre esse assunto, não deixe de ler até o final. Redigimos este conteúdo para explicar o que é esse documento e quais os seus pontos principais. Vamos lá?

O que é a BNCC e como ela funciona?

A BNCC é um conjunto de diretrizes que orienta a organização dos currículos na educação básica e define o conjunto de habilidades e competências que devem ser progressivamente desenvolvidas pelos alunos ao longo dos ciclos escolares.

O documento não deve ser visto como uma regra absoluta ou um currículo pronto, mas como um encaminhamento que norteará os objetivos pedagógicos em cada etapa escolar. Essa base deverá ser seguida tanto em escolas da rede pública quanto em estabelecimentos de redes particulares.

Por meio da BNCC, cada instituição terá autonomia para construir seu currículo, usando as estratégias pedagógicas que sejam mais adequadas para planejar, desenvolver e avaliar o aprendizado voltado ao desenvolvimento de competências, habilidades e níveis de cognição em cada componente curricular.

Quais os objetivos da BNCC?

A elaboração desse documento objetiva prover à escola uma base de referência para compor seus currículos, homogeneizando o percurso de aprendizagem nas instituições de ensino, seja nas escolas públicas, privadas, rurais ou urbanas. Com a BNCC, espera-se diminuir as desigualdades na educação e, mais importante, aumentar a qualidade do ensino no Brasil.

A Base Curricular tem o objetivo de preparar os alunos e desenvolver habilidades e competências importantes para o século XXI. Também visa modernizar as práticas pedagógicas e os recursos, incentivando a atualização das instituições e do corpo docente.

De maneira geral, os objetivos da BNCC são:

·        formar cidadãos mais críticos e engajados em seu meio sociocultural;

·        desenvolver habilidades para resolver problemas;

·        estimular a autonomia e o protagonismo para tomar decisões;

·        formar cidadãos colaborativos para o trabalho em equipe;

·        promover o respeito à diversidade;

·        desenvolver a capacidade de argumentação.

O foco é o desenvolvimento integral do aluno. A busca da igualdade educacional considera as singularidades desse processo, o real acesso e a permanência de todos na escola, com direito a aprendizagem genuína e significativa.

Quais as principais competências da BNCC?

Para assegurar a aprendizagem dos alunos, a BNCC indica competências gerais, comuns a todos os componentes curriculares, que norteiam o trabalho dos professores. As competências são definidas como a mobilização de conhecimentos, habilidades, atitudes e valores para resolver situações complexas da vida cotidiana, com pleno exercício da cidadania, permitindo que o aluno leve o aprendizado para todas as áreas da vida e se desenvolva integralmente.

A Base Curricular estipula dez competências que são consideradas fundamentais:

·        valorização dos conhecimentos adquiridos;

·        pensamento crítico, criativo e científico;

·        valorização das manifestações artísticas e culturais;

·        comunicação;

·        cultura digital e tecnologia;

·        autogestão;

·        argumentação;

·        autoconhecimento;

·        empatia e trabalho em equipe;

·        autonomia, responsabilidade e resiliência.

Nesse contexto, o foco é desenvolver habilidades e competências cognitivas, sociais e pessoais dos alunos. Dessa maneira, o conteúdo se torna uma ferramenta de aprendizagem que permite desenvolver habilidades e competências progressivamente.

Como incluir a BNCC na instituição de ensino?

Primeiramente, é necessário atualizar o currículo da escola e revisar todo o projeto pedagógico para se adequar às competências estipuladas pela Base. Além do mais, é primordial a formação e atualização contínua dos educadores.

As transformações devem ser comunicadas com muita clareza aos pais e ao corpo escolar para que todos entendam e desempenhem seus papéis na transformação educacional. Ainda nesse contexto, a modernização dos materiais didáticos é fundamental para se adequar às direções da BNCC.

As mudanças esperadas com a implementação da BNCC, de maneira geral, trazem expectativas de mudanças na educação e constantes melhorias no ensino. A ideia é formar estudantes mais críticos, criativos e preparados para transformar a sociedade em que vivem.

Se você gostou deste post sobre a BNCC, siga nossas redes sociais para não perder nenhum dos nossos conteúdos: estamos no Facebook, YouTube e Instagram!


Utilizamos cookies e outras tecnologias proprietárias e de terceiros para operar corretamente e com segurança o nosso site e personalizar o seu conteúdo. Nós também os usamos para analisar sua experiência de navegação e para adaptar a publicidade aos seus gostos e preferências. Política de cookies

Configurar ou Rejeitar Aceitar todos